Páginas

30.12.16

Ações em Saúde das CliniCassi em 2016




BALANÇO DO MANDATO (PARTE IV)

Olá prezad@s associad@s, companheir@s e colegas bancários,

Estamos encerrando mais um ano de trabalho pelo fortalecimento da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil, a maior autogestão em saúde do País (mais de 700 mil assistidos), cujo Modelo Assistencial é baseado na Atenção Primária e Estratégia Saúde da Família (ESF).

Sou o Diretor de Saúde e Rede de Atendimento da Cassi. Nossa Diretoria e equipe é responsável pelas 27 Unidades Administrativas (nos Estados e DF) e pelas 65 Unidades de Atendimento em Saúde (as CliniCassi). 

Os números de nossa entidade são expressivos quando comparados ao setor em que atua, a saúde suplementar. A Cassi tem 142 equipes nucleares de Saúde da Família e já acompanha mais de 180 mil participantes através da ESF. Além disso, realizamos Exames Periódicos de Saúde (EPS) em mais de 100 mil trabalhadores todos os anos.

A Cassi tem a menor despesa administrativa (relativa) do setor de saúde suplementar brasileiro para operadoras com estruturas e modelos similares. Enquanto a média do setor para 2015 (dados ANS) ficou em 11,5%, as autogestões 12,7% e as medicinas de grupo 12,4%, a Cassi teve despesa administrativa de 10,6% no mesmo ano. Já explicamos aos atores da Comunidade BB que precisamos de mais investimento a partir de 2017 na estrutura própria da Cassi para podermos ampliar a cobertura do Modelo Assistencial.

Nosso compromisso com os associados e com as entidades representativas e lideranças da Comunidade BB será de informá-los com muita constância no próximo período através deste blog e dos boletins que produzimos. O cenário nacional e do setor de saúde é complexo, mas a Cassi tem as melhores potencialidades do setor porque, dentre outras características, não visa lucro e tem público cativo e estável (Plano de Associados), gerando perspectiva de cuidados de longo prazo. 

Vamos juntos lutar por fazer mais promoção de saúde, mais prevenção de doenças e cuidar melhor de nossa população através da Atenção Primária, usando os recursos da melhor forma possível quando utilizarmos a rede credenciada.

Quero lembrar aos nossos leitores que as matérias deste blog são mais completas e estruturadas que 2 ou 3 parágrafos porque nossa intenção é dar informação qualitativa para os multiplicadores e formadores de opinião - conselheiros de usuários, dirigentes sindicais e de entidades representativas, cipeiros e delegados sindicais, gestores do BB, Sesmt, ECOAS e militantes em saúde.

Apresentamos abaixo um relatório das atividades coletivas e ações em saúde realizadas pelas nossas unidades Cassi e nossas equipes de profissionais de saúde. Não há nada parecido no mercado de saúde suplementar em relação à promoção de saúde, prevenção de doenças e foco educativo em saúde em populações de um plano privado de autogestão.

Abraços,

William Mendes
Diretor de Saúde e Rede de Atendimento (mandato 2014/18)





Relatório das Ações de Saúde Cassi – 2016

A Cassi promove ações de saúde ao longo do ano, voltadas aos seus públicos de relacionamento de todo o País. O calendário de saúde da Caixa de Assistência está alinhado às campanhas do Ministério da Saúde e contempla ainda ações específicas, voltadas ao perfil de doenças que mais afetam os participantes do Plano.

Dia Internacional da Mulher, Dia Mundial da Infância, Dia Mundial da Saúde, Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, Lavagem e Higienização das Mãos, Dia Mundial sem Tabaco, Dia da Imunização, Dia Mundial de Luta contra Hepatites, Semana Mundial de Amamentação, Saúde do Idoso, Dia Mundial do Coração, Outubro Rosa, Dia Mundial de Saúde Mental e Novembro Azul foram algumas das ações veiculadas nos canais de comunicação da Cassi.

Foram elaboradas, também, as cartilhas virtuais “Aedes Aegypti – Dicas de prevenção e combate ao mosquito transmissor do Zika vírus, Dengue e Chikungunya” e “Cassi e você contra a influenza”. O surgimento da pandemia de Zika trouxe impactos no cotidiano dos participantes e da própria Caixa de Assistência e levou a Cassi Sede e Unidades a desenvolverem estratégias de enfrentamento à doença, adaptando e criando atividades coletivas que focam sua prevenção, fato esse que também interferiu para a redução do número desses eventos nas CliniCassi. Também foi produzido material educativo e informativo de apoio às ações de saúde programadas das CliniCassi.

Os Serviços Próprios da Cassi realizam atividades coletivas, com propósito educativo, que organiza a assistência à saúde de modo a potencializar o estímulo à reflexão e à mudança de comportamento. As Atividades têm por objetivo estimular a reflexão dos participantes e dos próprios profissionais, a fim de alcançarem um pensamento crítico e disposto ao exercício da transformação, pois esse propósito está alinhado ao cotidiano da Estratégia Saúde da Família (ESF) e aos princípios da Atenção Primária (APS) e do Modelo de Atenção Integral à Saúde, possibilitando assim, a vinculação do participante à CliniCassi e à coordenação de cuidados.

-----------------------------------------------------


Na Cassi, as atividades coletivas são conduzidas pelas próprias Equipes de Saúde da Família. Ao todo, foram realizadas 1.075 atividades coletivas, no período de janeiro a novembro de 2016 nas CliniCassi de todo o país, com a participação de 16.930 participantes.

-----------------------------------------------------

O que se entende por Atividade Coletiva em Saúde

· atividades em grupo com o propósito educativo, baseadas em dados epidemiológicos e em evidências científicas;

· abordagem de assuntos relacionados à prevenção de doenças e à promoção da saúde, como complemento e auxílio à coordenação do cuidado;

· atividades desenvolvidas por equipe multidisciplinar, com a composição de grupos temáticos, buscando o atingimento dos seguintes objetivos:

- proporcionar troca de experiências e construção compartilhada de conhecimento, permitindo a busca de soluções coletivas para problemas comuns aos grupos;

- estimular a reflexão, a mudança de comportamento, o fortalecimento do autocuidado e o empoderamento do participante;

- permitir a ampliação da rede social.

Atividades em massa, como aferição de pressão e teste de glicose, quando apropriado, estão contidas em atividades coletivas, pois podem agregar uma abordagem educativa e reflexiva, possibilitando ao participante a apreensão de conhecimento e informações, fazendo-o compreender tal ação dentro de um contexto de saúde mais abrangente.


A intersetorialidade pode contribuir de forma significativa para um melhor desempenho das atividades coletivas. No âmbito da Cassi, isso é operacionalizado por meio de parcerias com instituições públicas e privadas, profissionais e entidades ligadas ao funcionalismo do Banco do Brasil, desde que coordenadas por profissionais de saúde vinculados à ESF e alinhadas ao modelo assistencial preconizado pela Caixa de Assistência. Um exemplo é a parceria das CliniCassi com as Secretarias Municipais e/ou Estaduais de Saúde nas campanhas de vacinação, especialmente a campanha contra o vírus influenza, que ocorre anualmente, e agrega grande parte da população Cassi em seu público alvo. 

A frequência das atividades coletivas, no entanto, deve ser flexível, de acordo com as realidades epidemiológicas locais e as necessidades e interesses do público-alvo, além da capacidade das equipes de saúde. No caso de eventos isolados, como as caminhadas de saúde ou atividades solicitadas pelo Banco do Brasil e entidades representativas, também consideradas ações coletivas, são sempre relacionadas às diretrizes estabelecidas para os Programas de Saúde da Cassi. 

Certo é que as iniciativas de promoção e prevenção devem ter por base estudos epidemiológicos consistentes e evidências científicas sustentáveis. Isso para que a Cassi possa reunir diferentes grupos de participantes com necessidades de saúde análogas, buscando uma melhor qualidade de vida individual, familiar e social.

Vale lembrar que essas iniciativas de promoção e prevenção se renovam periodicamente, para que os grupos possam decidir e vivenciar diversas abordagens sem vícios, acomodação ou assistencialismo.


Informações institucionais da Cassi e sobre saúde.

Sala de Espera

Uma iniciativa implementada em 2016 foi a divulgação de dicas e ações de saúde desenvolvidas pelas CliniCassi nos televisores das salas de espera desses serviços. A utilização do ambiente de sala de espera é um grande ganho, possibilita um espaço acolhedor e ameniza o possível desgaste associado ao tempo de espera por algum atendimento.

Neste sentido, considerando as necessidades dos participantes, além da educação em saúde em forma virtual, por meio dos televisores, as CliniCassi utilizam a sala de espera como “espaço potencial”, sendo um território onde ocorrem trocas entre o indivíduo e o meio. Por meio da sala de espera, os profissionais de saúde têm a oportunidade de desenvolver atividades que extrapolam o cuidado e auxiliam na prevenção de doenças e na promoção da saúde.


Objetivos alcançados com as ações de saúde

- Avaliação das condições de saúde da população, bem como de sua evolução.

- Estímulo dos participantes ao autocuidado e à adoção de hábitos saudáveis de vida.

- Vínculo dos participantes à ESF.

- Reunião periódica com a população assistida para apresentar a ela informações básicas para melhoria das condições de saúde.

- Avaliação do processo de atendimento à saúde realizado pela CliniCassi e pela Rede Credenciada/Referenciada.

- Avaliação dos níveis de produtividade/resolutividade das Equipes das CliniCassi.

- Avaliação do grau de satisfação do participante em relação aos serviços prestados.

- Avaliação do número de adesão às atividades coletivas para realização de outras com temas semelhantes ou mesmo com outro tema, a fim de alcançar um maior número de participantes e influenciar de forma direta na mudança de estilo de vida.


O processo de educação estimula nos participantes a responsabilidade do autocuidado, em um ambiente que além de acolher, gera um processo crítico/reflexivo, possibilita levantar as necessidades dos participantes, buscando intervir junto com eles e não apenas para eles, contribuindo ativamente para a efetivação dos princípios e diretrizes do Sistema de Saúde da Cassi.


Fortalecimento da Estratégia Saúde da Família

Em visitas às Unidades, o Diretor de Saúde e Rede de Atendimento, William Mendes, estabeleceu parcerias com as Entidades Representativas e o Banco do Brasil, a fim de divulgar a Estratégia Saúde da Família, bem como sensibilizar os participantes em relação a importância de ter a CliniCassi como porta de entrada preferencial para o sistema de saúde.

Até o momento foram elaborados e disponibilizados 8 (oito) Informes Saúde Cassi, com temas relacionados à Estratégia Saúde da Família (ESF), a saber:

- Sabe qual a estratégia da Cassi para cuidar melhor da sua saúde?;

- Atenção Integral;

- Bons hábitos de vida;

- Coordenação de Cuidados;

- Diferenças com o modelo tradicional;

- Equipe de saúde ao seu dispor;

- Família é importante, e

- Grupo de Vida Saudável.


Das 27 Unidades Cassi, 24 iniciaram a divulgação do material e as demais iniciarão em janeiro de 2017. A publicação e divulgação dos Informes Saúde Cassi são realizadas pelas CliniCassi, Entidades Representativas, Conselhos de Usuários da Cassi, Sindicatos de Bancários e Superintendências do BB e Gepes, por meio de e-mails, intranet, murais, jornais dos Sindicatos, superblogs do Banco, portal das entidades e whatsapp.

A divulgação desses Informes Saúde nos meios de comunicação das Entidades Representativas e do Banco do Brasil gerou manifestação de interesse, pelas Superintendências, em estreitar o relacionamento com a Cassi e colaborar com a divulgação dos Informes para os funcionários da ativa. Ainda, oportunizou maior empoderamento dos Conselhos de Usuários sobre o Modelo Assistencial adotado pela Cassi, seus benefícios, dificuldades de operacionalização e disponibilidade em participar de ações que fortaleçam o modelo preconizado pela Instituição e o equilíbrio financeiro.

Como resposta ao objetivo central desse trabalho, houve um aumento da procura por atendimento nas CliniCassi, relatado pelos gestores desses serviços, atrelado à curiosidade por parte dos participantes, de saber o que é a ESF e como funciona. Esse movimento gerou, também, maior facilidade de acesso das Equipes ESF para desenvolvimento das atividades nas agências e divulgação dos serviços de saúde oferecidos pela Cassi.


Balanço do Mandato: ver parte I, parte II, parte III.


Fonte: Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento da Cassi

Nenhum comentário: