Páginas

26.1.12

Contraf-CUT completa 6 anos construindo unidade e mobilização nesta quinta


Momento histórico: 1ª Congresso da Contraf-CUT,
em Nazaré Paulista.

A Contraf-CUT completa nesta quinta-feira, dia 26, seis anos de história com muitas lutas e conquistas para os trabalhadores do ramo financeiro. Uma história marcada pela construção da unidade nacional e da mobilização da categoria.

A entidade, com sede no centro de São Paulo, foi fundada em 26 de janeiro de 2006, durante uma assembleia histórica realizada em Curitiba. Mas a história da Contraf-CUT começou muito antes disso.

Uma história que vem de longe

As origens da confederação, que representa mais de 90% dos cerca de 480 mil bancários de todo país, se encontram na organização do Departamento Nacional de Bancários (DNB-CUT), a partir de 1985, quando aconteceu uma das maiores greves dos bancários no Brasil. Naquele ano, três sindicatos filiados à CUT (São Paulo, Porto Alegre e Londrina) formaram uma comissão que deu os primeiros passos.

O 1º Congresso do DNB-CUT ocorreu em 3, 4 e 5 de junho de 1989. A primeira diretoria eleita foi encabeçada por Ricardo Berzoini, atual deputado federal do PT de São Paulo e ex-presidente do Sindicato de São Paulo. O 2º Congresso foi realizado de 24 a 26 de agosto de 1990, onde foi aberto o debate de transformar o DNB em Federação Nacional ou Confederação.

O 3º Congresso do DNB-CUT aconteceu de 27 a 29 de março de 1992, onde foi aprovada a transformação do DNB em Confederação Nacional dos Bancários (CNB-CUT). Berzoini é eleito o primeiro presidente. Naquele ano, a entidade recém-criada assinou, junto com 120 sindicatos e sete federações, a primeira Convenção Coletiva Nacional de trabalho, que completa 20 anos em 2012.

Seis anos de protagonismo

O primeiro presidente da Contraf-CUT, eleito no ato de fundação, foi Luiz Cláudio Marcolino, que na época presidia o Sindicato de São Paulo e hoje é deputado estadual do PT de São Paulo.

O 1º Congresso da Contraf-CUT foi realizado em 25 de abril de 2006, em Nazaré Paulista. Vagner Freitas, atual secretário de finanças da CUT, foi eleito presidente, com mandato de três anos.

A atual direção foi eleita no 2º Congresso da Contraf-CUT, ocorrido em 14 e 15 de abril de 2009, em São Paulo. Carlos Cordeiro foi eleito presidente para a gestão 2009-2012.

Muitas lutas e conquistas

Ao longo desses seis anos, a Contraf-CUT fortaleceu a unidade nacional dos bancários e esteve à frente de todas as campanhas salariais, coordenando o Comando Nacional dos Bancários e consolidando a Convenção Coletiva Nacional de trabalho, que completa 20 anos em 2012, válida para funcionários de bancos públicos e privados de todo país.

Com a força da mobilização, os bancários concretizaram sonhos e ampliaram conquistas. Em 2011, os trabalhadores arrancaram aumento real pelo oitavo ano consecutivo, elevação dos pisos e melhoria na participação dos lucros, além de importantes avanços sociais.

"Apesar das vitórias, os desafios ainda são imensos, como o emprego decente, condições dignas de saúde, segurança e trabalho, igualdade de oportunidades, regulamentação do sistema financeiro e inclusão bancária sem precarização e sem exclusão", destaca Carlos Cordeiro.

Referência mundial

A Contraf-CUT é também referência internacional para os trabalhadores de todo o mundo. É filiada à UNI Global Union, o sindicato mundial que representa cerca de dois milhões de trabalhadores da área de serviços. Carlos Cordeiro é o atual presidente da UNI Américas Finanças, que organiza os bancários do continente americano.

A entidade participa da organização de redes sindicais dos bancos internacionais, buscando a construção de acordos marcos globais para garantir direitos básicos para os trabalhadores de todo mundo. Com a atuação decisiva da Contraf-CUT, foi assinado, em 2011, o primeiro acordo marco entre a UNI e o Banco do Brasil.

Fonte: Contraf-CUT


Comentário:

William Mendes no 1º Congresso da Contraf-CUT em 2006.

Tive o privilégio de pertencer a essa história de 6 anos de nossa Confederação, representando os bancários do Estado de SP através da representação e indicação do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e da Fetec CUT SP.

No primeiro mandato (2006/09) fui Secretário de Comunicação e neste mandato que está se encerrando em abril estou Secretário de Formação.

Respeito muito a história de luta dos trabalhadores bancários e tenho muita honra de ter participado e contribuído nesta década para esse importante movimento sindical brasileiro CUTista.

Coloquei o melhor de mim nesta luta de classe.

23.1.12

Sacolas plásticas abolidas em SP: presente para os capitalistas


Opinião

$acola$ plá$ticas abolida$ em $P: presente para o$ capitali$ta$!

Já que este blog é para eu expressar a minha opinião sobre as coisas, deixo aqui a minha sobre todo o ufanismo feito a SP por haver proibido a "distribuição gratuita" de sacolas plásticas nos estabelecimentos comerciais.

Os capitalistas agradecem!

Antes, eles embutiam no preço dos produtos que vendem nos supermercados (e no lucro) o custo gasto com a distribuição das sacolas plásticas para os consumidores levarem os produtos embora.

Por outro lado, os consumidores, em sua grande maioria, sempre utilizaram as mesmas sacolas para acondicionar o lixo diário de casa, economizando em ter que comprar trocentas sacolas plásticas para isso.

A nova onda verde é uma tremenda desculpa para os supermercados deixarem de distribuir gratuitamente e passarem a vender sacolas com nomes de "retornáveis" ou "bio" isso ou aquilo. Os cidadãos terão que comprar $acola$ para levarem as compras para casa e terão que comprar $acola$ para acondicionar o lixo diário.

O capitalismo continuará criando engôdos como este, e mais cortinas de fumaça que encobrem os verdadeiros problemas da classe trabalhadora o tempo inteiro.

Enquanto isso...

No entanto, o sistema continua produzindo modelo$ novo$ de celulare$ e bateria$ de celulare$ e tudo quanto é porcaria eletrônica movida a bateria$ e esses bilhõe$ de bateria$ continuarão indo para os lixos (com $acola$ plástica$ comprada$) e tudo bem...

Os preços nos supermercados não diminuirão, assim como não diminuíram quando enganaram os trabalhadores dizendo que a CPMF encarecia os produtos etc etc etc...

Os capitalistas continuarão sonegando e não pagando impostos... os trabalhadores continuarão a pagar impostos e o impostômetro continuará sendo referência para os dois grupos...

Enquanto isso também os governos eleitos pelo e para o sistema capitalista seguirão mantendo a ordem e a lei e manterão a propriedade privada, como é o caso da comunidade Pinheirinho, onde 9 mil pessoas foram violentamente varridas de uma propriedade privada do nada menos "Naji Nahas", especulador que fodeu milhares de pessoas como fraudador. Mas ele é grã-fino, usa talheres chiques e conhece pessoas influentes...

É uma maravilha!

E para terminar, famosos como o nadador Cielo continuarão a enganar a população dizendo para eles economizarem segundos de água em suas casas enquanto a metade da água potável segue ficando pelo caminho nos canos mal cuidados da Sabesp... e indo pro ralo nas mansões e indústrias por aí...

Eita mundo besta!



Alguns dados:

- Pão de Açúcar diz que já comercializou 4 milhões de sacolas retornáveis...

- a lei diz que os supermercados não podem mais fornecer "gratuitamente" sacolas plásticas...

- os preços das sacolas plásticas de lixo nas cidades que aboliram a distribuição gratuita de sacolas plásticas nos mercados, como Jundiaí, passaram a ser 235% maiores que nas outras cidades, segunda a Plastivida (associação da indústria da área)...


Opiniões a favor e contra:

A favor

Direito às sacolinhas - os supermercadistas de todo o país gastam por ano R$ 500 milhões com a compra das sacolinhas descartáveis. Esse custo está embutido no preço dos produtos e, portanto, os consumidores têm direito às sacolinhas.

Prejuízo ao consumidor - sem a distribuição das sacolinhas, os consumidores serão obrigados a pagar de R$ 0,19 a R$ 0,25 por sacolinha biodegradável e terão de comprar saco de lixo, pois não vão mais usar as descartáveis.

Sacola plástica polui? - a sacola plástica representa 0,2% do resíduo sólido urbano coletado no país. Esse percentual não pode ser considerado um agente poluidor.

A sacola reutilizável é uma alternativa? - também não. As sacolas não são produzidas no Brasil e são importadas do Vietnã, China e Taiwan, onde a mão de obra é de baixo custo para as empresas.

Quais as vantagens da substituição das sacolas? - nenhuma. A indústria de plástico flexível vai perder 30 mil postos de trabalho em todo o país, 6 mil só no Estado de São Paulo.

Sacola biodegradável é a solução? - não. Por três motivos: primeiro porque a matéria-prima para produzir a biodegradável é importada e o que chega ao Brasil não é suficiente para atender à demanda de sacolinhas. Segundo porque a sacola biodegradável só se decompõe em usinas de compostagem, que não existem no Brasil. Terceiro porque o material utilizado não pode ser reciclado.

Contra

Direito às sacolinhas - o consumidor tem e sempre terá alternativas, como optar por sacolas biodegradáveis ou reutilizáveis. O que os supermercados estão fazendo é suprimir uma alternativa agressiva ao meio ambiente.

Prejuízo ao consumidor - repassar ao consumidor o custo da sacola é uma forma de desestimular o consumo desnecessário. A Apas estimula que o consumidor vá às compras munido de sua sacola reutilizável, seja de pano, lona, palha, TNT, plástico ou de outro material reciclável.

Sacola plástica polui? - o país produz anualmente 500 mil toneladas de sacolas plásticas descartáveis. Calcula-se que cerca de 90% desse material, com degradação indefinida, acabe servindo de lixeira ou vire lixo. Esse material ocupa espaço valioso nos aterros sanitários.

A sacola reutilizável é uma alternativa? - inicialmente, as sacolas foram importadas, mas empresas e ONGs já começam a produzir as sacolas reutilizáveis.

Quais as vantagens da substituição das sacolas? - a indústria nacional está se adaptando à necessidade do mercado e já começa a produzir sacolas de fontes renováveis, como PET, TNT e tecido.

Sacola biodegradável é a solução? - o objetivo das iniciativas apoiadas pelo setor supermercadista e outros ramos do varejo não é substituir a sacola plástica descartável por outra de material biodegradável, que também gera resíduos. A intenção é que o consumidor se conscientize de que a cultura do descarte de resíduos sólidos prejudica o meio ambiente e passe a utilizar sacolas reutilizáveis de qualquer material.

Fonte:


Janeiro, 2012

Sacolinhas plásticas: entre o bem e o mal

Diário de São Paulo - São Paulo/SP - Notícias - 21/01/2012 - Regiane Soares Von Atzingen e Rafael Lasci

20.1.12

Direitos da CCT/CUT Bancários de 2005/2006



Às vezes, uso meu blog para arquivar dados sobre a categoria bancária, pois normalmente preciso deles quando escrevo meus textos e teses.


Direitos conquistados na campanha 2005

Assinatura da CCT/CUT com a FENABAN, através de aditivo ACT:

Reajuste: 6%
+
Abono: R$ 1.700,00

Greve: 28/09 A 13/10 (greve de até 16 dias, que pôde ser compensada entre 17/10 A 31/12/2005)

Piso de escriturário (conquista de 1992): R$ 839,93

Tesoureiros e caixas: R$ 1.173,76

Gratificação de caixa: R$ 226,65

Vale-refeição (conquista de 1990): R$ 13,42 (X 22 = R$ 295,24)

Cesta-alimentação (conquista de 1994): R$ 230,00

Auxílio-creche/babá (conquista de 1986): R$ 165,34 (83 meses)

Requalificação profissional: R$ 660,96

e mais algumas cláusulas importantes:

Cláusula 51ª - Comissões paritárias

As partes ajustam entre si a manutenção da Comissão Paritária de Saúde do Trabalhador e da Comissão Paritária sobre Terceirização.

Cláusula 52ª - Comissões temáticas

Além das Comissões paritárias pré-existentes, ficam também mantidas as seguintes Comissões Paritárias, para discutir e convencionar os temas abaixo:

a) acordo extrajudicial;

b) funcionamento das agências em horários especiais;

c) jornadas especiais;

d) custo de agências pioneiras;

e) compensação de horas extras;

f) 7ª e 8ª horas;

g) auxílio educacional;

h) gratificação semestral;

i) estratégias de geração de emprego; estabilidade de dirigentes sindicais.

Parágrafo único:

As partes ajustam entre si o prazo de 15 dias, contados da data de assinatura desta Convenção Coletiva de Trabalho, para se reunirem com a finalidade de discutir os seguintes temas: jornada de trabalho, terceirização e estabilidade de dirigentes sindicais.

Cláusula 53ª - Igualdade de oportunidades

As partes ajustam entre si a constituição da Comissão Bipartite que desenvolverá campanhas de conscientização e orientação a empregados, gestores e empregadores no sentido de prevenir eventuais distorções que levem a atos e posturas discriminatórias nos ambientes de trabalho e na sociedade de forma geral.

Comentário:

Alguns desses direitos são raros em outras convenções coletivas de trabalho no Brasil e no mundo.

É isso. Estava jogando papéis fora em casa e achei melhor registrar esses dados pois sempre procuro este tipo de informação na hora de escrever.

16.1.12

Por onde ando: férias em janeiro (Nota de falecimento do Sr. Maia)


Fui...

Informo aos valiosos leitores que em janeiro estarei postando em:


Blog Refeitório Cultural

(republico aqui necrológio de nossa confederação sobre o falecimento do Sr. Maia, com sentimentos de muito respeito a ele e família. O mundo perde um grande defensor das causas dos trabalhadores. É triste. Senti a tristeza da morte de pessoas conhecidas por cinco vezes nos últimos quatro meses.)
  
14/01/2012

Falece o advogado Luiz Castagna Maia, ex-assessor jurídico da Contraf-CUT

Faleceu neste sábado (14), aos 47 anos, em Brasília, o advogado Luiz Antonio Castagna Maia. É mais uma vítima de câncer, doença que vinha combatendo desde outubro de 2009. Foi assessor jurídico da Contraf-CUT no processo de fundação da entidade.

Clique aqui para ler a biografia de Maia.


A Contraf-CUT manifesta os sentimentos de dor e solidariedade aos seus familiares e amigos nesta hora difícil, como a filha Carol com quem aparece caminhando na foto ao lado em novembro de 2010.

"Trata-se de uma perda irreparável para os trabalhadores, pois foi um advogado brilhante que muito se dedicou e defendeu os direitos e a dignidade dos bancários e da classe trabalhadora", afirma o presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro. "Somos muito gratos porque ele foi fundamental para a consolidação jurídica da confederação que representa mais de 90% dos bancários de todo Brasil", destaca.



Advogado renomado

Maia nasceu em 16 de dezembro de 1964, na cidade de Gaurama, no interior do Rio Grande do Sul. Era o timoneiro do Castagna Maia Advogados Associados, um dos mais respeitados escritórios de advocacia de Brasília, com mais de dez anos de experiência nas áreas de seguros, previdência complementar, direito público, direito do trabalho e acompanhamento de ações em tribunais superiores.

Foi o assessor jurídico do processo de fundação da Contraf-CUT, em 2006. Ele defendeu a entidade nas ações movidas contra a sua legalização. A Contec havia ingressado com mandado de segurança contra a concessão do registro sindical à Contraf-CUT.

A atuação do advogado foi decisiva e, em agosto de 2009, a 7ª Turma do TST entendeu que as confederações representam exclusivamente suas federações filiadas, e que as federações representam apenas seus sindicatos filiados. "Com base nisso, por entender o TST que a criação da Contraf não agride a unicidade sindical, foi indeferida a cautelar", afirmou Maia na época.

Ele moveu várias ações judiciais em defesa dos participantes de fundos de pensão. Foi Maia quem propôs reclamatória que tramita na 8ª Vara da Justiça do Trabalho de Belém, postulando, dentre outros itens relevantes, a isonomia de tratamento concedida pelo patrocinador Banco da Amazônia para assegurar direitos aos assistidos pela Capaf.

Em 2 de março de 2011, o advogado foi um dos palestrantes do Seminário Nacional "O contexto do trabalho e suas implicações no acometimento da LER/Dort", realizado pelo Sindicato dos Bancários de Brasília e pela CUT-DF.


Dirigente sindical em Porto Alegre

Antes de atuar como advogado, Maia foi funcionário do Banco do Brasil, tendo trabalhado no antigo Cesec. Foi secretário-geral do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre (1987-90), na gestão do presidente Luiz Felipe Nogueira. Também foi diretor da Executiva da CUT-RS (1989-91).

"Maia foi um grande lutador da categoria, organizando e liderando importantes lutas dos bancários e dos trabalhadores, em especial as mobilizações dos funcionários do BB, contribuindo também para o fortalecimento das lutas dos participantes de fundos de pensão", aponta o diretor financeiro do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, Paulo Stekel.


Batalhador dos participantes de fundos de pensão

Para o vice-presidente da Anapar e diretor de Seguridade da Previ, José Ricardo Sasseron, "Gaúcho, mais que advogado, Maia foi um advogado militante e batalhador pelas causas dos participantes de fundos de pensão".

"Firmou e construiu, ao longo de sua militância profissional, teses e conceitos para defender nos tribunais os direitos dos trabalhadores e o respeito aos contratos previdenciários."

"Nunca abriu mão de representar sindicatos, associações de aposentados e participantes. Nunca advogou para empresas e patrocinadoras por opção política, pessoal e profissional."

"Argumentador perspicaz e radical defensor das próprias teses, Maia nos deixou como um dos mais brilhantes advogados previdenciários que já atuaram no Brasil."


Blogueiro inovador

Era também editor do Castagna Maia Blog, o primeiro blog de escritório de Advocacia no Brasil. Em outubro de 2009, ele revelou na postagem Licença para uma questão pessoal que estava com câncer.

"Há algumas semanas vinha sentindo aquela dor. Comecei a ter dificuldade para engolir. Finalmente, fui ao médico e foi solicitada endoscopia. Estou com um tumor de 1,5 cm no finalzinho do esôfago e começo do estômago. Daí vinha a dor ao engolir e que vinha se tornando cada vez pior, ao ponto da perda de peso. Foi ocasionado pelo ácido clorídrico do estômago que, por alguma falha, invadia e irritava o esôfago, fazendo lesões constantes que levaram ao surgimento do tumor", escreveu Castagna.


Última mensagem

A última postagem ocorreu no final de dezembro do ano passado, sob o título de "O inexorável feliz ano novo", onde fez um balanço de 2011 e olha com otimismo e esperança para o ano que estava nascendo.


Clique aqui para acessar o blog de Maia.

"O texto termina com uma mensagem, a última para todos os que como eu tiveram a alegria de conhecê-lo e participar das mesmas lutas e sonhos por uma sociedade mais justa e solidária", destaca o secretário de imprensa da Contraf-CUT, Ademir Wiederkehr.

"2012 será um ano melhor. Muito melhor. Não porque os fatores externos se modifiquem - e seguramente vão se modificar, mas porque o que conseguiram fazer até agora foi forjar nossa esperança até o inquebrantável".

"2012 será, sem dúvida, muito melhor. Acredite nisso, construa isso a partir do aprendizado que já tivemos".

Perde-se um lutador, mas não morre a esperança.


Fonte: Contraf-CUT com blogs

2.1.12

Por onde ando: desligado em janeiro (em férias)


Fui...

Informo aos valiosos leitores que em janeiro estarei postando em:

Blog Refeitório Cultural


Deixo uma reflexão sobre o presente e futuro do mundo:



É realmente pra se pensar: lendo hoje na Carta Maior sobre a nova "Doutrina Obama" de guerra tecnológica contra todos no mundo, não acho que Hugo Chávez seja maluco por achar muito estranho e coincidência demais o fato de 5 lideranças latino-americanas terem contraído câncer em tão pouco tempo.

Senão vejamos:

-O "empecilho" Chávez contrai câncer. Ele segue sendo eterno candidato à reeleição na Venezuela. Sua oposição nunca melhora em qualidade.

-Lula da Silva escolhe uma candidata a sua sucessão, considerada um "poste". Dilma contrai câncer. Descobre a tempo, é curada e é eleita presidenta.

-Fernando Lugo ganha as eleições no Paraguai após um século de governos de direita que se revezam. Lugo contrai câncer. Quase saiu do poder.

-Néstor Kirchner é apontado como sucessor de sua mulher Cristina Kirchner. Ele morre de infarto. Dilema para o Kirchnerismo: segue na política ou não? Cristina se candidata e ganha as eleições com maior margem de vantagem em décadas. Cristina contrai câncer.

-Lula da Silva continua muito bem cotado para suceder a Dilma Rousseff na presidência do Brasil. A oposição nunca esteve tão frágil por absoluta incompetência e falta de propostas. Lula contrai câncer.


É ou não é coincidência demais...??


Carta Maior

"A NOVA GUERRA AMERICANA: dezembro de 2011-- queda de avião norte-americano não tripulado (dron) no Irã reforça indícios de que a guerra dos EUA e aliados contra o país já começou; 2ª quinzena de dezembro: explosão de planta de conversão de urânio, em Isfahán **novembro de 2011: explosão de unidade da guarda iraniana causando a morte do general Moqaddam, principal impulsionador do programa nuclear iraniano; julho de 2011: assassinato do físico nuclear Dariouh Rezaie ** 24 de dezembro de 2010: vírus Stuxnet ataca sistema industrial do projeto nuclear iraniano (60% da ocorrência mundial do Stuxnet concentra-se no Irã, o que evidencia um direcionamento coordenado) ** ainda em dezembro de 2010: assassinato do cientista Majid Shariari em explosão de carro-bomba e atentado contra o físico Fereydoon Abbasi.


EUA: NOVA DOUTRINA DE SEGURANÇA REFORÇA ATENTADOS, SABOTAGENS E ROBÔS

Orçamento norte-americano de defesa poderá ter cortes de US$ 500 bi em uma década, mas Barack Obama garante que atuação militar do império continuará eficaz. A nova estratégia de segurança nacional, anunciada nesta 5ª feira pelo democrata, pressupõe redução numérica de tropas, compensada pela expansão de forças especiais, ágeis, secretas, treinadas para ataques pontuais fulminantes, como a operação que resultou no assassinato de Bin Laden. Sobretudo, porém, a "doutrina Obama" apoia-se fortemente em recursos tecnológicos. Inaugura-se uma nova era de atentados e sabotagens, baseados em cepas renovadas de vírus, ataques no ciberespaço, espionagem, uso de robôs e veículos não tripulados. Obama não disse, mas é forçoso arguir: o arsenal incluiria também a eliminação de 'lideranças indesejáveis' através de operações que destroem sua saúde? O Irã, alvo de sucessivos assassinatos de cientistas ligados ao programa nuclear do país (vide acima), avulta como o laboratório de teste da nova guerra americana."


(Carta Maior; 5ª feira; 05/01/ 2012)