Páginas

1.7.16

Agenda do Diretor de Saúde da Cassi



Fechando uma semana de 60 horas de trabalho pela
nossa Cassi e pelos associados que representamos.

Olá companheir@s, amig@s e colegas do Banco do Brasil,

Estou na Sede da Cassi nesta sexta-feira 1º de julho. São mais de 21h e estou fechando uma semana de trabalho em que trabalhei 3 turnos de segunda a sexta, manhã, tarde e noite. Foram umas 60 horas dedicadas à nossa Caixa de Assistência.

Eu tenho tido essa rotina de dedicação desde que cheguei eleito à Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento de nossa entidade de saúde. E faço isso porque a Cassi e os associados merecem essa dedicação nossa e os desafios são imensos, juro pra vocês. E também faço isso porque tenho uma história de dedicação e representação construída junto aos trabalhadores desde 2002.

Nesta semana, tivemos agendas importantes como a reunião com o BB aqui em Brasília para estreitar parcerias de trabalho na área de comunicação em prol da Cassi e da promoção de saúde (leia AQUI). Estou muito focado em envolver a todos na defesa do Modelo de Atenção Integral à Saúde, porque fazendo isso estou protegendo aos associados e estou fortalecendo a nossa Caixa de Assistência.

Fiz nesta semana e publicamos hoje o 24º Boletim dos Eleitos (2014/18), onde abordamos a Estratégia Saúde da Família (ESF) e as vantagens que ela traz aos participantes e à própria Cassi. Não publiquei o boletim no blog ainda, mas já pode ser lido no site da Contraf-CUT na área de publicações (leia AQUI).

Acabei agora há pouco, aqui na Cassi, a leitura da pauta da reunião de Diretoria Executiva da próxima terça, foram 30 itens lidos e estudados. Ufa!

Estivemos na posse da nova diretoria do Sindicato dos Bancários de Brasília. A chapa eleita foi liderada pelo amigo e companheiro Eduardo Araújo, de longa história de luta e dedicação às causas dos bancários. Desejo bom trabalho à todas e todos da direção do Sindicato. Eu sou um grande defensor dos sindicatos de trabalhadores porque eles são responsáveis por organizar as lutas e contratar direitos novos para todos nós que vivemos da venda de nossa força de trabalho.

Por fim, publicamos nesta semana, a agenda de Conferências de Saúde que vamos realizar neste segundo semestre. Já realizamos duas - Piauí e Paraíba - e vamos realizar mais oito (leia AQUI). Eu agradeço muito todo o apoio que as entidades sindicais e associativas têm nos dado para a realização das Conferências, porque desde o início do regime de orçamento contingenciado na Cassi não tivemos recursos aprovados para realizar esses importantes eventos de participação social da comunidade Banco do Brasil, e já realizamos 19 com o apoio logístico, financeiro e humano das entidades representativas.

Além das Conferências de Saúde, devido ao planejamento de nossa Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento, estou indo trabalhar e atuar nas unidades da Cassi nos Estados. Eu sou o gestor das 27 Unidades Administrativas da Cassi e das 65 unidades de atendimento de saúde, as CliniCassi.

Já estivemos em 10 Estados neste ano cumprindo nosso trabalho e o planejamento de nossa área de saúde e rede. Agora faltam os 17 Estados que iremos visitar, sendo os 8 das Conferências e mais 9 para agendas específicas de fortalecimento da gestão e da Cassi.

Eu decidi que tanto iria me aprofundar no estudo e gestão de nossa Cassi, na área de saúde, como também manter minha linha de trabalho de fazer gestão junto às bases que representamos e que somos responsáveis, no caso das unidades da Cassi.

Eu tenho um planejamento de trabalho até dezembro e já tenho viagens a serviço no mês de julho e vou cumprir todos os meus compromissos. Um gestor de rede precisa ir à rede que administra. Além disso, eu sou um representante eleito que vou até os associados que representamos.

Ao longo desses dois anos de mandato, eu já dispus de recursos próprios para realizar meu trabalho diversas vezes, diversas. Hoje precisei fazer o mesmo para iniciar minha agenda do segundo semestre. Mas quero acreditar que as coisas se resolverão para os próximos meses.

Enfim, em julho, cumpriremos nossa agenda de trabalho no Amazonas e em Roraima, entre os dias 20 e 22, e também no Espírito Santo, nos dias 28 e 29.

Abraços a tod@s os meus pares da classe trabalhadora!

William Mendes
Diretor de Saúde e Rede de Atendimento (eleito 2014/18)

2 comentários:

teka.17 disse...

Eu com 65 anos e 45 anos de contribuição e infelizmente qdo tinha saúde dediquei ao bco e agora com 4 doenças crônicas sendo uma de base importante hà 35 anos , por eu quis né, venho sofrendo e piorando por causa do descaso da Cassi dos medicamentos cobrados e agora vou recorrer ao SUS para não sofre tantos descontos Pq tenho que comprar mtS medicamentos por fora que foram negados!!!! Por ignorância médica da Cassi , não posso mais sair de casa Pq tenho que tomar med que eu mesma durante por mais de 10 anos me auto aplicava e agora a cada 15 dias tenho que ir a um hospital e tenho pago pelo med de auto custo que não pode ser cobrado e cada vez que falo vcs sempre tem razão e por aí vai, o que vcs querem é isso que nos marramos, assim será um a menos e médicos? Cadê os médicos??? Credenciados ????????? Pago terapia por fora é isso aí tem que entrar na justiça!!!!!!! Mas Tdo tem seu preço !!!! Mas vou conseguir grata

William Mendes disse...

Olá colega,

A política de ressarcimento ou fornecimento de medicamentos para controle de doenças crônicas que nós conquistamos como associados à Cassi é muito importante para cada um dos associados que fazem uso dela. Em 2015 foram mais de 56 mil participantes que puderam contar com o auxílio da Caixa de Assistência no uso de seus medicamentos. (direito que está além do rol mínimo da ANS para os planos de saúde)

Mas infelizmente não são todos os medicamentos e princípios ativos disponíveis no mercado que fazem parte da Lista de Medicamentos Abonáveis (LIMACA). Há regras técnicas revisadas de tempos em tempos.

Nosso Programa de Assistência Farmacêutica (PAF) está em constante estudo para melhorias, de forma a ser vantajoso para a saúde dos associados da Cassi.

Em relação à deficiências ou falta de alguma especialidade em localidades onde há participantes nossos da Cassi, parte importante do problema não é culpa de nossa entidade e sim do setor de saúde como um todo. É um problema estrutural. Mesmo assim, a Cassi busca atender à demanda do participante, inclusive se valendo de resoluções da ANS como a 259/268 de Garantia de Atendimento, mesmo que para isso pague muito mais para o prestador de serviços de saúde que atenda ao nosso associado (por que é lei), em relação a tabelas gerais dos estados. Mas, via de regra, não deixamos de assistir aos associados.

Abraços pra senhora.

William