Páginas

31.3.17

Cassi SC - Agenda de gestão e reunião com Conselho de Usuários



Reunião de gestão na Unidade Cassi Santa Catarina.

Olá prezad@s associados e participantes da Cassi e companheir@s de lutas,

Estivemos nesta quinta 30 e sexta-feira 31 cumprindo agenda de gestão da Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento da Cassi no Estado de Santa Catarina. Foram dois dias de fortalecimento da participação social porque nos reunimos com o Conselho de Usuários e fizemos boas reuniões de trabalho, incluindo visitas às unidades de atendimento em saúde, as CliniCassi de Joinville e Balneário Camboriú.

Na quinta-feira pela manhã, tivemos reunião com a equipe de gestão da Unidade. Analisamos diversos eixos estratégicos tanto da Cassi de forma geral, quanto da Cassi no Estado de Santa Catarina. Ainda em relação à Unidade e equipe de trabalhadores, fizemos reunião geral para prestar informações e ouvir os nossos profissionais da Cassi. Dentre outros temas, debatemos Planejamento de trabalho para a Unidade, clima organizacional, Convênio de Reciprocidade e Rede de Atendimento, Estratégia Saúde da Família (ESF)/CliniCassi, Saúde ocupacional e PCMSO/EPS 2017, 

A Diretoria de Saúde e Rede de Atendimento é responsável pela gestão do Modelo de Atenção Integral à Saúde, que na Cassi se dá através da Atenção Primária (APS) e Estratégia Saúde da Família (ESF)/CliniCassi. Em Santa Catarina, temos CliniCassi em Florianópolis, Blumenau, Balneário Camboriú e Joinville. Também somos responsáveis pela gestão da Rede de Unidades Cassi nos 26 Estados e DF.


Conhecemos hoje mais uma CliniCassi,
a de Balneário Camboriú,
Que fica na AABB local.

COMPROMISSO COM OS ASSOCIADOS - DEFESA DO MODELO ASSISTENCIAL ESF/CLINICASSI, DA SOLIDARIEDADE E FOCO NA SAÚDE DOS TRABALHADORES, ALÉM DE FORTALECER A PARTICIPAÇÃO SOCIAL E INFORMAR/COMUNICAR SOBRE A CASSI E O MANDATO

Tenho prestado contas de nosso mandato para o conjunto dos associados desde o primeiro dia de trabalho e isso é um compromisso nosso de transparência e de fortalecimento do papel político de um representante numa entidade de saúde de autogestão em modelo de gestão compartilhada com o patrocinador patrão, o Banco do Brasil. Eu estudo a Cassi e tudo que posso em relação à gestão de saúde e do setor de saúde. 

Ao mesmo tempo que mantenho agenda ininterrupta de gestão administrativa e olhar atento nos interesses dos associados da Cassi, gerida pelo Banco e eleitos pelo Corpo Social, não abro mão de ir às bases sociais, conversar e dar informações aos associados e suas lideranças e entidades praticamente em todos os meses do mandato. Ouvir os associados e as equipes de trabalhadores da Cassi é uma forma de dar pertencimento e empoderamento à comunidade BB em relação aos seus direitos de associados e usuários de um plano de saúde de trabalhadores.


Reunião com Conselho de Usuário da Cassi SC.

EM REUNIÃO COM O CONSELHO DE USUÁRIOS DA CASSI SC, DIRETOR DE SAÚDE RESGATA HISTÓRIA DO PROCESSO DE LUTA SOBRE O DÉFICIT DO PLANO DE ASSOCIADOS  E APONTA MOBILIZAÇÃO E ATENÇÃO NA PRÓXIMA ETAPA DE BUSCA DE SUSTENTABILIDADE

Fico com o sentimento de dever cumprido ao fechar o mês de março com mais uma reunião de prestação de contas junto ao Conselho de Usuários do Estado de Santa Catarina. Foram quase 3 horas de debates na quinta-feira à tarde, onde pudemos resgatar o período histórico que vivemos entre o início da discussão do déficit do Plano de Associados, no final de 2014, quando os indicados do Banco do Brasil na governança da Cassi apresentaram propostas que afetavam drasticamente os direitos dos associados em custeio e em cobertura, propondo aumento de contribuição só para os associados, aumento de coparticipações e criação de franquia de R$ 1.500,00 sob internações e previsão de suspensão de programas de saúde, benefícios conquistados pelos trabalhadores do BB ao longo das décadas de lutas e existência da Caixa de Assistência.

Consegui visitar dois Conselhos de Usuários em março (RJ e SC) e três em fevereiro (DF, RN, SP).

Depois que levamos o problema para as entidades sindicais em 17 de dezembro de 2014, foi instalada mesa nacional de negociação entre o BB e entidades representativas dos associados, com apoio e assessoria dos eleitos da Cassi, e o Banco fez uma segunda proposta (maio/2015) que transferia a responsabilidade dele sobre as contribuições dos pós-laborais (aposentados e pensionistas) para o próprio Plano de Associados - a proposta do Fundo de 6 bilhões. Além disso, o Banco propunha rateio de déficits somente entre associados e quebrando a solidariedade onerando mais os idosos, os doentes e os grupos familiares. Nós todos rejeitamos a 2ª proposta do Banco, que novamente só onerava os associados e a luta unitária continuou.

A LUTA VALEU A PENA - Finalmente em setembro de 2016 saiu a "Proposta Final" como disse o Banco do Brasil. Desta vez, após quase dois anos de processo de lutas e mobilização dos associados, o Banco faz proposta onde coloca também recursos na busca de equilíbrio e sustentabilidade da Cassi. Como eleito pelos associados, sempre apostei nesse processo de luta para buscar uma solução partilhada entre Banco e Associados. Foi assinado um Memorando de Entendimentos, houve consulta ao Corpo Social, e agora entramos numa nova etapa de lutas entre 2017, 2018 e 2019. onde a governança da Cassi vai receber uma consultoria paga pelo patrão (BB) e deliberações podem ocorrer na Diretoria Executiva e CD durante esse processo. TODA ATENÇÃO é necessária por parte DOS ASSOCIADOS E ENTIDADES.

Eu reforcei meu compromisso com os conselheiros e conselheiras de usuários em seguir informando e me reunindo pessoalmente com todos os Conselhos e entidades representativas para falar a respeito da Cassi, dos direitos dos associados e dos embates que possam ocorrer internamente na governança da Caixa de Assistência.


Reunião de trabalho com equipe Cassi em Joinville.

DIRETOR DE SAÚDE VISITA CLINICASSI FLORIANÓPOLIS, JOINVILLE E BALNEÁRIO CAMBORIÚ E FAZ REUNIÃO DE GESTÃO EM SAÚDE

Um dos esforços que temos feito como responsável por defender e melhorar o Modelo Assistencial da Cassi é conhecer a estrutura própria de Atenção Primária (APS) e Estratégia Saúde da Família (ESF). Já consegui conhecer pessoalmente mais da metade das unidades CliniCassi no País.

Nesta agenda, conhecemos as unidades Joinville e Balneário Camboriú. Aproveitamos para acolher pedido de conselheiros de usuários de Joinville e visitamos a AABB local, onde há interesse por parte da comunidade em realizarmos estudos para ver a viabilidade de mudança da CliniCassi da região para o endereço do clube.

As CliniCassi são parte integrante e indissociável do modelo ESF. Temos nelas médico de família e médico de pronto-atendimento, além de enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionistas, psicólogos e assistentes sociais. Atualmente temos 23 unidades CliniCassi (de 65) chamadas de "porte reduzido", com apenas 4 trabalhadores e sem uma equipe multidisciplinar completa. 

Esse modelo de "porte reduzido" foi adotado depois de 2008, justamente após uma consultoria contratada pela Cassi finalizado o processo de negociação e aprovação de proposta sobre déficit entre 2005/2007. Esse é um dos exemplos do porquê termos que ficar atentos ao processo de "consultoria" que virá em 2017.

Enquanto gestor eleito de saúde e rede própria de atendimento, sou defensor de melhorias tanto nas estruturas físicas das CliniCassi, quanto na estrutura de profissionais dessas unidades de atendimento.


Reunião de trabalho com equipe Cassi em Balneário Camboriú. 

Cada unidade CliniCassi, como as que visitamos, atendem grande número de participantes idosos, com diversas doenças crônicas, além de fazer atendimento de saúde ocupacional e atendimentos de atenção primária.

Um participante Cassi é "acolhido" nas CliniCassi, um conceito muito mais amplo que ser atendido em um prestador de saúde da Rede Credenciada.

Enfim, a agenda de gestão em Santa Catarina foi muito positiva. Sem fazer esse esforço extra de estar nas pontas onde a relação com o participante ocorre, eu não conseguiria fazer algo diferente do que faziam na Cassi e nosso compromisso foi muito claro quando chegamos à Caixa de Assistência.

Agradeço a acolhida que tivemos por parte de todos e todas, tanto do pessoal do Conselho de Usuários, lideranças e entidades representativas, quanto da equipe de trabalhadores da Unidade Cassi SC, liderada por nossa gerente Andrea.

Abraços a tod@s,

William Mendes
Diretor de Saúde e Rede de Atendimento


Post Scriptum 1:

O dia 31/3 mais uma vez fica marcado como um dia trágico para o povo brasileiro. O governo federal sancionou "lei" que acaba com os direitos dos trabalhadores e suas entidades sindicais. O golpe da terceirização foi efetivado na mesma data do golpe contra a democracia e o povo trabalhador brasileiro em 1964. Desde o início do processo de construção do golpe os empresários da mídia e da Fiesp e os partidos que tomaram o poder em parceria com o judiciário têm estraçalhado os direitos sociais do povo e o patrimônio nacional. Os efeitos de todo esse ataque serão pesados para o nosso banco público BB e para as entidades do funcionalismo como a própria Cassi.

Post Scriptum 2:

Quando os tempos são de ataques aos direitos dos trabalhadores, os efeitos da conjuntura e do cenário se espalham pelas instituições da vida social. Eu tenho percebido e lutado contra certa vontade de amordaçar e engessar os poderes de gestão dos eleitos pelo Corpo Social da nossa autogestão Cassi. Estou vigilante para não aceitar passivamente nenhum ataque a direitos de associados em nossa Caixa de Assistência, direitos em custeio, em cobertura, em participação social e em igualdade de poder na governança da Cassi. É isso!

Nenhum comentário: