Páginas

19.7.16

Entidades de representação retomam negociação da Cassi com o Banco do Brasil


(Reprodução de matéria da Contraf-CUT)

19/7/16

Os projetos fazem parte do Programa
de Excelência no Relacionamento.
Foto: Guina Ferraz

Os representantes dos funcionários cobraram do banco o andamento dos projetos de ações estruturantes e ações emergenciais de reforço de caixa para a Cassi



As entidades de Representação do Funcionalismo do Banco do Brasil, que compõe a Mesa de Negociações da Cassi, retomaram os debates sobre a sustentabilidade da caixa de assistência, na segunda-feira (19).

Para Wagner Nascimento, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, a retomada das negociações demonstra a preocupação das entidades com o futuro da Cassi e com o atendimento dos associados. “Precisamos construir uma proposta de sustentabilidade de longo prazo para a Cassi, reforçando a política de Atenção Integral a Saúde, com melhor atendimento, sem corte de benefícios e reforçando o modelo da Estratégia Saúde da Família para encaminhamento de tratamento e prevenção de doenças. O debate não pode parar dentro do BB e nem com os aposentados”, alertou. “As resoluções do Congresso Nacional dos Funcionários do BB, realizado no mês passado, reforçaram a importância e a prioridade da Cassi nos debates com o banco”, completou.

Os representantes dos funcionários cobraram do banco o andamento dos projetos de ações estruturantes e ações emergenciais de reforço de caixa para a Cassi, para evitar que se tenha corte de benefícios e falta de atendimento. A mesa reafirmou que os projetos não são de uma ou outra diretoria da Cassi, mas da entidade e que devem ter continuidade.

Os projetos fazem parte do Programa de Excelência no Relacionamento, desenvolvido pelas diretorias da Cassi, que tratam de aperfeiçoamento dos mecanismos de regulação, gestão da rede de prestadores, acesso qualificado através do sistema integrado de saúde, gestão integrada de informações de estudos estatísticos e atuariais, aperfeiçoamento dos processos orientados ao sistema de saúde Cassi e novos planos.

As entidades também cobraram do BB que apresente proposta de sustentabilidade de longo prazo para ser debatida.

Foram reafirmados os princípios balizadores da negociação e consensos construídos ao longo do processo de negociação:

- o princípio da solidariedade

- investimento no Modelo de Atenção Integral à Saúde através da Estratégia Saúde da Família

- a garantia de atendimento para ativos, aposentados, dependentes e pensionistas

- corresponsabilidade entre BB e associados.

Algumas propostas de cunho emergencial foram apresentadas para análise do BB, para garantir reforço de caixa, considerando o fim das reservas livres. Os representantes dos funcionários apresentaram a proposta de antecipação do SiBET, valores que serão destinados de contribuição patronal e pessoal, a partir do resgate do saldo do BET na Previ. Esta medida anteciparia os recursos e não traz nenhum prejuízo aos associados.

Foi cobrado novamente que se tenha contribuições para a Cassi nos acordos judiciais e extrajudiciais trabalhistas e que o banco analise a antecipação de contribuições.

O banco informou que parte das análises dos projetos estão sendo conduzidas dentro do próprio banco, com a análise dos dados disponíveis até o momento e que o BB está analisando a forma de se fazer o investimento nos projetos.

Sobre as propostas de cunho emergencial, o BB afirmou que ainda nesta semana fará reuniões com a Diretoria da Cassi para discutir algumas medidas que foram propostas e estão sendo analisadas técnica e juridicamente. Sobre antecipação de recursos, o BB afirmou que o fez com a antecipação do 13º proposto pela Mesa de Negociação e que esta foi a única medida possível de antecipação.

As entidades cobraram que as negociações sejam aceleradas e foi acordado que teremos rodadas em menor tempo entre uma e outra a partir de agora. Nova rodada de negociação foi agendada para o dia 1º de agosto.

Fonte: Contraf-CUT

Nenhum comentário: