Páginas

23.4.16

Comentário do Diretor de Saúde sobre o resultado das eleições Cassi 2016




Comentário do Blog

Começo meu comentário após citar duas frases, uma que ficou famosa há uma década por expressar o ódio e a intolerância em relação ao PT, ao Governo Lula e todo seu significado; e outra dita ontem, após o resultado das eleições Cassi, encerradas nesta sexta, 22, com a vitória da chapa 3 do MNOB/CSP Conlutas.



"Precisamos acabar com essa raça" (Jorge Bornhausen, ao se referir ao PT em 2006)

"Vamos varre-los todos" (Juliana Donato, caref do BB e liderança do PSTU/CSP Conlutas, ao comentar a vitória de sua chapa nas eleições Cassi e referindo-se a todos nós que temos origem no movimento sindical CUTista e que votamos nos governos eleitos de Lula e Dilma, do PT)


Olá companheir@s, amig@s e colegas do Banco do Brasil,

É difícil não tecer algum comentário sobre o resultado das eleições Cassi 2016 e o cenário conjuntural em que ela se deu. Difícil não me posicionar com relação à essa frase dos vitoriosos e o significado dela.

Antes de mais nada, dou meus parabéns aos mais de 82 mil associad@s que participaram do processo democrático escolhendo uma das três chapas para participar da gestão de nossa Caixa de Assistência nos próximos 4 anos. Mais 22 mil associad@s se manifestaram no processo optando por branco ou nulo.

Já que me manifestei como apoiador da Chapa 2 Juntos pela Cassi, eu agradeço os 26.608 votos recebidos por nossos companheir@s de mandato Mirian Fochi, João Maia, Mário Engelke e Eduardo Marinho, juntamente com as lideranças Silvia Muto, Cristina Santos, Matheus Frahia, Ana Paula Busato e José Luiz Barbosa, que se apresentaram na chapa para as eleições, pessoas oriundas de diversas partes do país e dirigentes de nossas entidades sindicais bancárias.


SETOR SAÚDE ATRAVESSA CRISE ESTRUTURAL E CASSI TAMBÉM SOFRE AS CONSEQUÊNCIAS

A Cassi está inserida num cenário adverso de crise do setor saúde e numa crise interna de desequilíbrio do Plano de Associados, basicamente porque as receitas operacionais são menores que as despesas assistenciais, devido a diversos fatores que levamos ao conhecimento do Corpo Social no último ano e meio de trabalho. 

Ou seja, desde o final de 2014, eu pessoalmente e diversos companheiros e companheiras das mais diversas origens e opiniões políticas e de entidades sindicais e associativas da ativa e aposentados fizemos esse trabalho de informar os associados sobre os motivos do déficit e tentamos mobilizá-los para buscarmos soluções em mesa de negociação com o patrocinador Banco do Brasil.

Ao longo de 2015 construímos uma bonita e histórica unidade na luta em defesa da Cassi e dos direitos dos associados, colocando juntos Contraf-CUT, Contec, ANABB, AAFBB, FAABB, eleitos da Cassi e conselhos de usuários. 

Os eleitos da Cassi, diretores Mirian e eu e os conselheiros, negamos todas as propostas de aumento de contribuição, criação de franquia sob internação e redução de direitos dos associados apresentadas pelo patrocinador patrão, o BB, porém, não conseguimos até o momento, achar uma solução negociada entre as partes para solucionar o déficit do plano de saúde dos funcionários.


UNIDADE E RESPEITO SÃO FUNDAMENTAIS ENTRE OS TRABALHADORES, BEM COMO NA RELAÇÃO COM O PATROCINADOR BB

Nós todos envolvidos nesta bela unidade em defesa da Cassi e dos direitos dos associados chegamos a tentar construir uma chapa unitária para as eleições 2016. Mas na hora não foi possível, e isso é compreensível porque onde há muitas lideranças há muitos desejos das pessoas de se sobressaírem em processos eleitorais.

Eu e muitos companheiros de trabalho e lideranças sindicais entendíamos que era muito importante a companheira Mirian se colocar à disposição para continuar um trabalho que viemos realizando juntos nos últimos dois anos. As propostas de Iniciativas Estratégicas que foram bem aceitas por TODAS as entidades da mesa de negociação, inclusive pela direção do banco, e que estão em fase de avaliação técnica, a pedido da mesma mesa de negociação, foram construídas e propostas por nossas equipes de trabalho, da Diretora Mirian e da nossa Diretoria de Saúde.

No mínimo, afirmo que não seria honesto dizer que nosso trabalho na Cassi não tenha buscado aumentar a participação social, buscar unidade entre todas as entidades representativas do funcionalismo, buscar diálogo com o patrocinador Banco do Brasil e que não tenhamos atuado com muita transparência, explicando que boa parte dos problemas da Cassi tem origem em problemas externos, ou seja, do setor saúde como um todo.

Inscritas as três chapas, eu acreditei que o nível do debate seria elevado como tratamos as divergências internas ao longo dos anos de 2014 e 2015. 


ELEIÇÕES NA CASSI FORAM CONTAMINADAS POR CLIMA DE ÓDIO E INTOLERÂNCIA QUE TOMOU CONTA DO PAÍS

A tristeza foi muito grande ao começar a ver nas últimas semanas a chapa 3 se aproveitar da mais grave crise política e econômica que nosso país enfrenta em décadas ao escolher como estratégia de campanha na Cassi a linha do ódio pregado pelos golpistas à democracia brasileira. Campanha de ódio a nós todos que temos origem e qualquer vínculo ou simpatia pela maior liderança deste país, Lula da Silva, ou que nos unimos em torno da bandeira do "Não vai ter golpe, vai ter luta" em relação ao processo de impeachment da Presidenta Dilma Rousseff. 

Nós lideranças de trabalhadores de entidades sindicais históricas passamos a ser atacados no mais baixo nível em eleições de entidades associativas como Cassi, Previ, Funcef etc e também entidades sindicais sob o lema "fora sindicalistas", "fora cutistas", "fora petralhas", "fora...".

Em relação aos movimentos sociais e sindicais, a estratégia de se aliar aos golpistas liderados por Rede Globo e demais famiglias do P.I.G. e tucanos a favor do impeachment na política brasileira, somente parcela da Força Sindical e a Conlutas/PSTU se uniram ao golpe. Quando vemos aquela cena da votação do fatídico domingo 17 de abril e quem está do lado do Golpe e quem está a favor da Democracia, não temos nenhuma dúvida de que lado devemos nos posicionar no espectro da política brasileira em momento tão polarizado e decisivo em nossas vidas de trabalhadores brasileiros.

A chapa 3 chegou a publicar (e depois que pegou mal apagou) agressões a mim dizendo que eu não trabalho, justo eu Diretor de Saúde eleito e que trabalho ininterruptamente pela Cassi e pelos direitos dos associados desde o 1º dia de mandato lá em junho de 2014. Duvido que alguém eleito tenha agenda de prestação de contas disponível na internet como eu.


NÃO SOMOS LIXO E NÃO SEREMOS VARRIDOS

Eu posso afirmar uma coisa com tranquilidade. Eu e nossos companheir@s de trabalho e de luta pelos direitos dos trabalhadores e dos associados de nossas entidades representativas do funcionalismo do BB não somos lixo para sermos varridos, mas podem tentar nos varrer, me varrer, me eliminar, quem sabe até se unindo a forças mais conservadoras nos espaços onde atuamos defendendo os direitos dos associados e bancários do Banco do Brasil da ativa e aposentados. 

Em relação ao respeito à pluralidade, eu não vou mudar um milímetro na forma como estamos atuando no mandato em relação a ouvir os associados, tratar da mesma forma respeitosa todas as entidades sindicais e associativas, buscar unidade entre todas as forças e entidades do funcionalismo e, sobretudo, buscar o diálogo com o nosso patrocinador Banco do Brasil, porque aprendi a fazer política na construção de consensos e não no sectarismo. Quem vai as bases com frequência, como eu vou, sabe que tem muita gente boa e séria em todos os espaços da comunidade BB. Eu não demonizo gestores do Banco nem lideranças sindicais que têm visão de mundo diferente da minha.

Deixo aqui outro compromisso: cada dia vou radicalizar mais na transparência de nosso mandato na Cassi, tendo a responsabilidade inteligente de saber o que posso divulgar e o que não posso. Estarei atento às propostas e promessas feitas pela chapa vitoriosa que arrota tanto ódio a nós, principalmente no que diz respeito às promessas "chega de aparelhamento político na Cassi" e "chega de má gestão".

Entendo que o Brasil, o povo brasileiro, a política e os espaços políticos das instituições sociais precisam de menos ódio, menos intolerância e mais respeito. Precisamos de mais unidade em busca de fortalecer a Cassi e o espírito de pertencimento.

Seguimos trabalhando e buscando parcerias em defesa da Cassi, dos direitos dos associados com todos que desejarem. E cada vez que eu perder algum debate interno na Cassi que eu entenda que vai prejudicar os associados ou a Cassi que defendemos, vamos falar a respeito com o Corpo Social que representamos.

A Cassi e o Banco do Brasil precisam retomar as negociações para encontrar uma solução para o déficit no plano de saúde dos funcionários. É necessário construir consensos. Me coloco à disposição da Contraf-CUT, da Contec, da AAFBB, ANABB, FAABB e dos Conselhos de Usuários. Reafirmo ao Banco do Brasil que sigo à disposição para o diálogo.

Tod@s vocês podem continuar contando comigo para esse trabalho.

William Mendes
Diretor de Saúde e Rede de Atendimento (eleito)


(matéria da Cassi divulgando o resultado das eleições 2016)

Chapa 3 – A CASSI É SUA!! vence as Eleições CASSI 2016

A Comissão Eleitoral, em cumprimento ao Regulamento Eleitoral e ao Edital de Convocação das Eleições 2016, homologou hoje, 22, o resultado das Eleições da CASSI. A votação dos associados, realizada entre os dias 11 e 22 de abril, elegeu membros titulares e membros suplentes dos Conselhos Deliberativo e Fiscal e o Diretor de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes.

A Chapa 3 – A CASSI É SUA!! foi eleita com 30.507 votos. Do total de votos registrados na Chapa 3, 23.397 votos foram dos associados da ativa do Banco do Brasil e 7.110 votos foram dos associados aposentados.

A Chapa 2 – JUNTOS PELA CASSI obteve 26.608 votos, ficando em segundo lugar. Do total de votos registrados na Chapa 2, 19.817 votos foram dos associados da ativa do Banco do Brasil e 6.791 votos foram dos associados aposentados.

Em terceiro lugar, a Chapa 1 – CASSI SEMPRE, que obteve 25.172 votos. Do total de votos registrados na Chapa 1, 13.025 votos foram dos associados da ativa do Banco do Brasil e 12.147 votos foram dos associados aposentados.


O processo eleitoral registrou ainda 8.304 votos em branco, 13.748 votos nulos e 70.477 abstenções.

A posse dos representantes eleitos ocorrerá no dia 1º de junho de 2016 e os mandatos terminam em 31/5/2020.


Confira os representantes eleitos:

Chapa 3 – A CASSI É SUA!!

Diretor de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes
Humberto Santos Almeida

Membros do Conselho Deliberativo
Titulares
1 - Karen Simone D Avila
2 - Ronaldo de Moraes Ferreira

Suplentes
1 - Luiz Pizetta
2 - Otamir Silva de Castro

Membros do Conselho Fiscal
Titulares
1 - José Carlos dos Santos
2 - Ângelo Argondizzi Marcelino


Suplentes
1 - Nadia Maria de Novaes da Silva
2 - Leodete Sandra Cavalcanti Silva

O Painel de Votação, com o total de associados (da ativa e aposentados) que votaram por UF, será divulgado na segunda-feira, 25/4/2016, no menu à esquerda do hotsite das Eleições CASSI 2016.



COMENTÁRIO DE JULIANA DONATO, LÍDER DA CHAPA 3, CONSTRUÍDA PELO MNOB/CSP CONLUTAS (em sua página da rede social Facebook)

"Vitoria!

Chapa 3, a chapa independente do Governo e da direção do BB, venceu a eleição da CASSI (Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil), com mais de 30.000 votos!

Isso prova que os funcionários do BB não aguentam mais os governistas à frente de suas entidades. Vamos varre-los todos! Os trabalhadores precisam de verdadeiros representantes!

Parabéns a todos os funcionários do BB e aos companheiros da chapa 3, que agora tem pela frente uma grande responsabilidade!
" (diz a maior líder da Chapa 3, a caref Juliana Donato, do PSTU/CSP Conlutas)


FRASE RETIRADA DA REDE SOCIAL FACEBOOK SOBRE A CHAPA 3 A CASSI É SUA

"O MNOB/CSP CONLUTAS constrói a Chapa 3 'A Cassi é sua' para resgatar a Cassi para os funcionários. Nos dias 11 a 22 de abril vote na chapa da oposição"


Fonte: blog com matérias e publicações do site da Cassi e da rede social Facebook

2 comentários:

Moyses Berndt disse...

William, sua análise é tendeciosa e carregada de ódio a quem não lhe presta vassalagem.
A chapa 3 é encabeçada por Humberto Almeida, que desde 1997 está à frente das lutas pela Cassi, na base e no Conselho de Usuários/BA.
Humberto foi contrário à reforma estatutária da Cassi, a mesma que você e a Contraf apoiaram alegando que nossos problemas estariam resolvidos. Vários militantes de base foram contrários a esta política que você coordenou enquanto dirigente da Contraf e da Comissão de Empresa. Esses militantes se aglutinaram na Chapa 3.
Lá estão todos os que foram barrados no seu baile.
Você distorce os fatos dizendo que a chapa 3 apoia o Golpe. Humberto Almeida foi eleitor de Dilma e está contra o golpe do PMDB, que seu grupo político colocou como vice de Dilma. Vamos ser francos.
Espero que você tenha a humildade de reconhecer que seu projeto de Cassi foi derrotado nas urnas pelos bancários do BB e que as propostas apresentadas pela Chapa 3 foram vitoriosas.
Espero que se some a Humberto Almeida em um projeto verdadeiramente transformador da Cassi e o apoie. Não gostaria de ver você boicotando as propostas da Chapa 3 ou fazendo oposição a Humberto,com chororô de perdedor. Isso é coisa do Aécio, coisa de tucano, não ficaria bem para um cara que se diz de esquerda.
(desafio a publicar na íntegra este comentário rápido)

William Mendes disse...

Moisés,

A minha opinião é sincera e muito refletida. A chapa do Humberto é a chapa do MNOB/CSP Conlutas. Parte da militância que você cita se dividiu, senão nas três chapas, pelo menos na chapa 3 e na chapa 1.

Não aceito sua inversão de valores, querendo imputar a mim um ódio que nos é dirigido, e que é muito pesado, desnecessário e desagregador.

Por fim, você também comete um exagero que entendo ser normal porque faz parte da política que nós tanto conhecemos (construir versões). Eu não disputei eleição, não me dediquei a campanha e segui realizando meu trabalho. ISSO É PÚBLICO! Então, menos Moisés.

Meu mandato e o projeto coletivo que estou inserido está em vigor.

Em relação ao meu comportamento, de conciliar com todas as forças, seguirei exatamente igual, porque é fundamental para o que somos e fazemos.

Bom domingo, Moisés, paz e saúde a ti e família.

William Mendes