Páginas

9.12.14

Para Contraf-CUT, funcionários não podem pagar sozinhos conta da Cassi



A Contraf-CUT protocolou na quarta-feira 3, junto à direção do Banco do Brasil, ofício solicitando reunião para que a empresa se posicione oficialmente sobre aumento de custeio na Cassi. 

A reivindicação foi apresentada a pedido dos sindicatos, que têm recebido correspondências de funcionários alertando sobre boatos divulgados esta semana em redes sociais, denunciando que o banco pretende aumentar a contribuição dos funcionários no Plano de Associados, sem reflexo na parte patronal, além de elevar a coparticipação em exames e restringir programas de saúde mantidos pela Caixa de Assistência, dentre outras medidas que não foram apresentadas ao movimento sindical até o momento.

Veja também novo boletim dos dirigentes eleitos da Cassi sobre VII Encontro dos Conselhos de Usuários.

A representação dos trabalhadores é contra qualquer tentativa do banco de aumentar as contribuições dos trabalhadores sem nenhuma negociação com os funcionários e aguarda rápida resposta do Banco do Brasil.

Alterações no custeio exigem aprovação dos funcionários e mudança no estatuto da Cassi.

"Os sindicatos não aceitam imposição de medidas que onerem os trabalhadores e querem discutir seriamente com o banco o futuro da Cassi e o que há de concreto nos boatos. O banco é responsável junto com os funcionários por garantir atendimento aos associados e manter o equilíbrio da entidade. Qualquer alteração no custeio da Cassi exige mudança do estatuto, que também prevê que as decisões devem ser compartilhadas entre banco e trabalhadores e não podem ser tomadas unilateralmente", afirma Wagner Nascimento, Coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB. 


Fonte: Contraf-CUT

Nenhum comentário: