Páginas

6.9.14

Plebiscito Popular por uma Constituinte para Reforma Política


Eu votei!

Convocamos todas as brasileiras e brasileiros a votarem até este domingo (7) por uma constituinte exclusiva por uma reforma política que modifique a representação política em nosso país.

Abraços a tod@s






Post Scriptum I (11/9/14)


Plebiscito: 1,7 milhão votou pela internet e resultado final sai dia 21

A votação online do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político foi divulgado na terça-feira (9).

Depois de uma intensa semana de mobilização dos movimentos sindical e social, 1.744.872 pessoas votaram pela internet em todo o país. Destas, 96,9% (1.691.006) foram a favor da Constituinte do Sistema Político e 3,1% (53.866) contra.

O resultado final da votação das urnas fixas que estiveram espalhadas pelo Brasil será divulgado pelas 450 organizações que compõem o Plebiscito no dia 21 de setembro, em coletiva de imprensa. 

O advogado José Eymar Loguercio afirma que o plebiscito recolocou para a sociedade a necessidade de reformar o sistema político. "Significa repolitizar os locais de trabalho, ou seja, os trabalhadores entenderem que são sujeitos dessa história e que não é apenas votar para o seu candidato nas eleições, mas questionar o modelo de representação".

Pesquisadora do Cesit/Unicamp, Magda Barros Biavaschi, afirma que votou "sim" no Plebiscito. "A reforma política é fundamental, pois há muito tempo tramita no parlamento e a gente não consegue aprovar".

Para Loguercio, o plebiscito tem relação direta com umas das principais questões que está sendo também discutida neste momento: a terceirização. "É importante pensar no parlamento porque ele é o espaço de regulação de trabalho, é o local de proteção dos trabalhadores. Porque a legislação trabalhista é o limite que se estabelece para as empresas, para o capital que busca somente o lucro".

A secretária de Imprensa da CUT São Paulo, Adriana Magalhães, alerta que o plebiscito acaba, mas a luta pela reforma política continua "Encerramos uma intensa mobilização nas ruas do Brasil que nos ajudou a refletir sobre quem nos representa no Congresso. Sabemos que os empresários e o agronegócio estão articulados para aprovar a terceirização sem limites. Nas eleições, não podemos votar em candidatos que não apoiam a classe trabalhadora", conclui.

O militante da Consulta Popular, advogado e um dos autores do livro "Outro sistema político é possível", Rafael Locateli Tatemoto, afirma que os movimentos deram uma resposta ao momento atual. "Nossa tarefa mais importante agora é contabilizar os votos para depois transformá-los em força social e pressão sobre o Congresso".

Para ele, o plebiscito ampliou o nível do debate político entre a população. "Nesse momento de eleição, deixou também mais claro quem são aqueles que querem mudanças no sistema político e aqueles que não querem", conclui.

Entre os dias 1º e 7 de setembro de setembro, cerca de 40 mil urnas fixas e volantes estiveram disponíveis em todo o Brasil. A contagem dos votos coletados começou a ser feita nos estados também na segunda-feira (8) e ocorre até o dia 14. A previsão é que o resultado final da campanha seja divulgado no dia 21 deste mês. 


Fonte: Vanessa Ramos e Luiz Carvalho - CUT


Post Scriptum II (24/9/14)


Eleições 2014 e reforma política para fortalecer a democracia

7,5 milhões de pessoas votaram a favor de uma constituinte exclusiva para definir novas regras para a democracia brasileira. É uma participação muito grande do povo nesta consulta. (imaginem se o PIG - Partido da Imprensa Golpista - vai dar destaque a isso)

Falando em modelo de reforma política e eleições, eu sou partidário das mudanças que proíbem financiamento privado de candidaturas. Também defendo o fortalecimento dos partidos políticos com programas definidos e não do estrelismo/individualismo na representação parlamentar e nos executivos. Também defendo que haja lista partidária nas eleições.

É por acreditar nesse modelo que nas eleições 2014 eu VOTO no 13 Partido dos Trabalhadores, de ponta a ponta. 

Este é o partido que entendo ser o melhor para o povo brasileiro e para a classe trabalhadora. Voto assim desde que tinha 18 anos. E sei que o PT tem suas contradições e problemas, mas o resultado da política dos mandatos do PT mudou para melhor a vida do povo brasileiro. 


Abraços, William Mendes.

Nenhum comentário: