Páginas

28.11.13

Contraf-CUT e entidades sindicais reivindicam do BB Cassi e Previ para todos


Primeira reunião da mesa temática sobre incorporados foi em Brasília

Foi realizada na tarde desta quarta-feira 27 de novembro a primeira reunião da mesa temática entre a Contraf-CUT e entidades sindicais e o Banco do Brasil sobre saúde e previdência para os funcionários oriundos dos bancos incorporados pelo BB. O encontro aconteceu na sede do Banco em Brasília.

Os representantes dos funcionários reivindicam que todos os trabalhadores oriundos do Besc, Banco Nossa Caixa e BEP tenham acesso ao plano de saúde da Cassi, com a assistência, os serviços, a amplitude nacional e a contrapartida de custeio do Banco para ativos e aposentados. Com relação aos planos de previdência do Economus, Fusesc e Previbep, que sejam garantidos os mesmos direitos, nível de contribuições e benefícios oferecidos aos funcionários do BB no Previ Futuro, preservados os direitos dos participantes ativos e aposentados vinculados aos planos de Benefício Definido daquelas três entidades.

Os representantes do Banco do Brasil na mesa temática, sob a coordenação do diretor da Diref, Carlos Néri, apresentaram uma série de dados e falaram sob a situação de cada uma das três entidades, dos seus planos de previdência e de assistência à saúde. 

Apresentaram o trabalho que está sendo feito pelos dirigentes de cada entidade para avaliar com profundidade o patrimônio, os investimentos e a situação atuarial de cada um dos planos, os riscos, demandas e passivos, a implantação de novos mecanismos de decisão, controle, avaliação de risco, auditorias e procedimentos para melhorar a gestão dos fundos.

Os representantes do BB frisaram que não há autorização do acionista majoritário para negociar soluções neste momento, já que o encontro realizado nesta quarta-feira não era uma mesa de negociações, mas uma reunião para reconhecimento da situação dos planos. 

Questionamentos

As entidades sindicais fizeram uma série de questionamentos quanto à situação dos planos. Reafirmaram que a expectativa dos trabalhadores oriundos dos bancos incorporados é que haja uma solução negociada, que equipare seus direitos aos dos bancários já admitidos como funcionários do BB. 

Os sindicalistas mostraram que, se houver disposição da parte do Banco, estão dispostos a fazer todo o esforço necessário para encontrar saídas que viabilizem a transferência de todos, com suas reservas e direitos, para a Cassi e a Previ, sem levar nenhum risco desnecessário aos atuais participantes dessas duas entidades.

"A reunião foi produtiva porque para alcançarmos nosso objetivo de termos todo o funcionalismo incluído na Cassi e Previ, com direitos iguais e sem discriminação, temos de conhecer os diversos planos de saúde, de previdência, os principais problemas e assim discutirmos junto com os trabalhadores a melhor maneira de negociar a solução desta reivindicação tão importante para cada bancária e bancário oriundos dos bancos incorporados que hoje não têm acesso ao direito, tanto na ativa quanto na aposentadoria, como já ocorre com quase 200 mil funcionários do Banco", afirma William Mendes, secretário de Formação da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

Tanto os representantes do Banco quanto os sindicalistas ficaram de aprofundar estudos e avaliar propostas concretas de solução para depois realizar nova reunião. Os membros da Comissão de Empresa reivindicam que se inicie de fato um processo de negociação, e não somente uma mesa temática para avaliação dos planos.

Fonte: Contraf-CUT

26.11.13

Contraf e BB iniciam mesa temática sobre Cassi e Previ para os incorporados



Uma das conquistas da Campanha Nacional 2013 é a implementação de mesa entre a Contraf-CUT e suas entidades sindicais e o Banco do Brasil para a coleta de informações sobre os diversos planos de saúde e previdência complementar que pertencem às entidades que eram vinculadas aos bancos incorporados (BEP, BESC e Banco Nossa Caixa) e seus funcionários.

A mesa ocorre em Brasília nesta quarta-feira 27 e as entidades sindicais esperam conseguir finalmente todos os dados necessários para que os trabalhadores e seus representantes possam encontrar solução definitiva, a fim de que todos tenham direito à Cassi e à Previ. Hoje o que existe é um só banco, um só regulamento interno que abriga o funcionalismo, mas milhares de funcionários com direitos menores que seus colegas admitidos diretamente no BB.

"Esperamos que essa mesa seja produtiva e que após a coleta de todos os dados que precisamos sobre os diversos planos, os perfis de seus públicos e as dificuldades existentes, possamos avançar e abrir negociações efetivas nos próximos meses para incluir todos os funcionários na Cassi e na Previ, independente da origem", afirma William Mendes, secretário de Formação da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

BB ainda deve acertos de campanha 

A Contraf-CUT e suas entidades sindicais agiram rapidamente na busca de solução para os diversos problemas recorrentes no BB após o final da campanha nacional e da assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria.

Um dos grandes problemas com resposta rápida do movimento sindical neste ano foi com relação às perseguições e exageros cometidos pela direção do Banco aos bancários que participaram da paralisação.

"Neste ano agimos rapidamente em nível nacional, nos primeiros dias após a assinatura do acordo, para que a vida voltasse à normalidade nos locais de trabalho e que não houvesse abusos por parte dos gestores do Banco em relação aos grevistas. Após um forte trabalho nosso, juntamente com a mobilização dos bancários e sindicatos, resolvemos a maior parte dos problemas de práticas antissindicais e agora os casos são residuais. Nossos sindicatos estão atentos a qualquer problema que ocorrer", informa William Mendes.

Mérito dos caixas: o BB informou à Contraf-CUT que havia trabalhado para fazer o acerto da pontuação e o pagamento àqueles que adquiriram mais uma letra de mérito em novembro. Segundo a direção da empresa, houve problemas tecnológicos e ela trabalha para que o acerto aconteça em dezembro. Os acertos dos créditos devem ser desde setembro de 2013. Qualquer dúvida sobre erro na pontuação ou no recebimento do direito ao Mérito deve ser repassada para o sindicado local, que verá junto ao seu representante na Comissão de Empresa (CEBB) na Federação a solução para o problema.

Acordo de CCV: o acordo de CCV para avaliar demandas de passivo trabalhista sobre jornada de cargos comissionados aos aderentes às funções de 6 horas do Banco foi renovado com uma alteração importante. Ao sindicato que aderir, não será mais necessário interromper por 180 dias as ações coletivas que reivindiquem demandas de jornada de trabalho (estava previsto no acordo de CCV passado). Assim que a Contraf-CUT receber o documento do Banco, soltará comunicado com todas as informações para a adesão ao novo ACT de CCV, inclusive sobre procedimentos de assembleias. 

Estorno das faltas dos dias de luta contra o Plano de Funções: o Banco efetuou o estorno das faltas (com o código 308) ocorridas no primeiro semestre devido à agenda de luta contra os efeitos negativos do novo Plano de Funções, implantado pelo BB em 28/01/13. Os gestores das unidades receberam instrução da direção do Banco para mudar o comando das faltas até dia 8/11, para que os bancários recebessem o crédito do estorno na folha de novembro. Caso algum bancário ainda esteja com o 308 e sem o crédito, deve informar ao seu sindicato porque, nesse caso, pode ter sido um erro local.

Crédito do estorno do 308 sobre a PLR do primeiro semestre: a Contraf-CUT já cobrou da direção do BB que seja feito o crédito referente ao estorno da(s) falta(s) dos dias de luta contra o Plano de Funções. Os bancários receberam sua PLR com o valor a menor por terem faltas 308 naquele semestre.

Créditos de VA, VR e dos estagiários foram pagos: o BB acertou em novembro os créditos referentes aos novos direitos dos funcionários em alimentação e refeição, inclusive os descontos indevidos feitos durante a greve. Também efetuou o pagamento do novo valor das bolsas de estágio retroativo a setembro de 2013. Qualquer problema que ainda persistir deve ser informado ao sindicato local.

Fonte: Contraf-CUT

-----------------------------------------------

Post Scriptum (26/6/18):

A chegada a Brasília naquela semana com agendas de negociação com o Banco na quarta 27 e atividade de rua no Banco Central de Brasília na terça 26 foi tumultuada por causa de caos aéreo. Cheguei tarde ao hotel na segunda-feira, 25 de novembro.


Tomando uma canja pra nanar...

Escrevi na postagem do Facebook:

"A segunda-feira foi lonnnngaaaa. Estive pela manhã com um compromisso em Sampa. Aí tentei pegar meu voo para DF. Não sei se todo mundo sabe, mas São Paulo estava o caos (como sempre). TUDO PARADO e com chuva. Perdi o voo em Guarulhos parado no trânsito... depois não conseguia voo nenhum... até que voei pra lá e pra cá (exagero! peguei um voo pra DF com escala em Goiânia) e cheguei pela noite em Brasília para compromissos e atividades aqui até quarta-feira.

Lá pela meia-noite no hotel, decidi tomar uma canja... a bichinha tava muito boa! (apesar do preço absurdo!) É isso. Fim de segunda-feira!"

22.11.13

Agenda de luta... Formação e mais...

Finalizei a semana de luta nesta sexta-feira 22, depois das 22h.

Concluímos em Nazaré Paulista (SP) o primeiro módulo da nossa 8ª turma do curso de formação Sindicato, Sociedade e Sistema Financeiro, organizado pela Contraf-CUT em parceria com o Dieese e autofinanciado pelas entidades sindicais participantes.

Ainda chegando de noite em casa, fui reler e corrigir os textos da revista nacional dos funcionários do bb - a revista O Espelho. precisava concluir o conteúdo para diagramá-la, imprimi-la e distribui-la nas bases do país.

Na quinta (21) estive na capital paulista para uma reunião nacional de minha corrente política e sindical dentro da CUT. Abordamos cenários sindicais para 2014 além de várias questões como a campanha nacional dos bancários. A reunião foi participativa e muito democrática como devem ser essas reuniões de movimento social.

Entre quarta (20) e domingo (17) estive junto à turma de formação lá no Hotel Atibainha.

Nos intervalos do curso, bem como à noite, ou bem cedo... estive sempre cuidando de questões relativas ao bb.

É isso. Missão Cumprida! (mas confesso meu cansaço! Estou custando ficar com o olho aberto...)

Fui...


LEMBREM-SE: FAÇAM TUDO NA VIDA COM GANA!

---------------------------------------------

Post Scriptum: Continuo indignado com o Governo Federal e o Partido dos Trabalhadores com o "faz de conta que não é comigo" sobre a tortura legal há anos ao companheiro Genoíno e ninguém faz nada!

Post Scriptum (2): Cadê a merda da regulamentação da mídia não feita nos últimos 10 anos?


Post Scriptum (3): O governo segue PRIVATIZANDO... Que tristeza!


---------------------------------------------


Lideranças em atividade de protesto e por um Banco Centrall
a serviço do Brasil e do povo brasileiro e não dos banqueiros.

Post Scriptum (26/6/18):

Para não dizer que nada foi feito sobre as condenações ilegais de Genoíno e Dirceu, houve no dia 26/11/13 em Brasília uma manifestação nossa na porta do STF em protesto às condenações políticas de militantes do PT e do movimento sindical e social.

Fiz um vídeo da atividade (AQUI). A mobilização foi precedida por um ato no Banco Central por um papel mais social da entidade.

21.11.13

Contraf-CUT inicia 8a turma do curso de formação de dirigentes bancários

  
Curso forma dirigentes e assessores de entidades sindicais de todo país

O curso "Sindicato, Sociedade e Sistema Financeiro", organizado pela Contraf-CUT em parceria com o Dieese e financiado pelas entidades filiadas, iniciou a 8ª turma na segunda-feira (18), em Atibaia (SP). A atividade faz parte da grade permanente de formação da Confederação e está alinhado com a Política Nacional de Formação da CUT, que define o papel estratégico da formação sindical e aponta para os ramos e setores produtivos organizar cursos complementares à grade da rede nacional.

Segundo William Mendes, secretário de formação da Contraf-CUT, o curso é um Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores (PCDA) adaptado para as entidades sindicais do ramo financeiro e vem sendo realizado pela Contraf-CUT desde 2009. Ele é aplicado em três módulos de cinco dias e ocorrerá entre novembro deste ano e fevereiro de 2014.

A 8ª turma do curso tem a participação de 27 dirigentes e assessores de 13 entidades sindicais de nove estados: RS, SC, PR, SP, RJ, MG, MS, PA e DF.

"Enaltecemos muito a disposição e combatividade de cada participante e de suas entidades por acreditarem na formação sindical. Estávamos com o curso programado para começar em outubro, mas devido à greve longa e vitoriosa da categoria, tivemos que reorganizar a agenda. Fomos instados a manter o curso e estamos muito felizes de termos uma turma tão boa quanto esta que temos neste oitavo curso", afirma William.

Este primeiro módulo é organizado de modo a que os participantes tenham oportunidade de conhecer melhor a história do movimento sindical brasileiro e dos bancários; aborda a questão da disputa da mais valia entre capital e trabalho; estuda a questão do mundo do trabalho ao longo do século XX no Brasil, sob os vários governos e períodos; e chega ao período contemporâneo dos anos 90 e da atualidade.

Os outros dois módulos abordarão o sistema financeiro nacional e internacional, a questão da regulamentação, os tratados e acordos internacionais, os desafios da classe trabalhadora e da categoria bancária na contemporaneidade.

"A formação sindical tem papel estratégico para a Central Única dos Trabalhadores. Na definição da Política Nacional de Formação da CUT, cabe aos ramos fazer cursos e programas de formação complementar aos da rede da Central. A Contraf-CUT cumpre seu papel quando oferece este curso de capacitação de dirigentes das entidades sindicais do ramo financeiro, bem como com os cursos de especialização que estamos realizando neste mandato como ocorreu com a Terceirização e sobre o tema Saúde do Trabalhador do Ramo Financeiro. Teremos mais cursos de especialização em 2014", projeta William.

Fonte: Contraf-CUT


----------------------------------------------

Post Scriptum:

Postei a matéria no Facebook com o seguinte comentário:

"FORMAÇÃO: Concluímos o primeiro módulo. A esperança que a formação nos dá quando reunimos pessoas dispostas a mudar o mundo é muito grande... é uma sensação pacificadora em nossa tumultuada luta contra as coisas do mundo. A formação salva!"


E a companheira Regina postou:

"Agradecendo aos amigos William Mendes, Andreia Ferreira e Bárbara Vazquez pela presença sobrenatural no curso Sindicato, Sociedade e Sistema Financeiro. Vcs são pessoas maravilhosas! E ao Joel Bueno, que não via há 15 anos, mas parece que estávamos juntos naquela sala, em outro curso, num outro tempo. Bjs a todos!"

15.11.13

15/11/13 Proclamação da Iniquidade no Brasil


O Grito - Edvard Munch

Estou com dificuldades de expressar de maneira racional e cuidadosa o que estou sentindo em relação à iniquidade perpetrada pela direita brasileira contra o PT e figuras históricas deste partido como José Dirceu, José Genoíno e outras pessoas condenadas na invenção chamada "mensalão"...


Hoje mandaram prender pessoas condenadas SEM PROVAS MATERIAIS, condenações POLÍTICAS por participarem do projeto que mudou o Brasil para melhor nos últimos 10 anos para milhões de pessoas. Projeto que fez o Brasil virar uma ilha de “prosperidade e possibilidades” para negros, pobres, homossexuais, gente fora dos padrões estéticos da direita, gente mestiça... com geração de emprego e distribuição de renda em um mundo vivendo a maior crise capitalista desde o crash de 1929.


Desde que passei a ter mandato sindical representando a classe trabalhadora, sei que temos TODAS AS ESTRUTURAS DA SOCIEDADE BURGUESA CONTRA NÓS. Estou sentindo ódio e raiva semelhantes ao que senti desde minha adolescência contra toda essa merda montada pelas famílias que dominam o poder econômico no Brasil, que NUNCA concordaram com as mudanças e avanços liderados por Lula da Silva e o PT, mudanças que incluíram milhões de pessoas num padrão de vida mais humano em um país ex-colônia com 5 séculos de exploração e miséria.


Vou me calar porque sei que a mim, de origem pobre e sem posses até hoje, sindicalista cutista, petista, de esquerda etc, pesará o rigor da lei iníqua dos desgraçados pra qualquer coisa que eu falar ou escrever.


Toda a minha solidariedade aos condenados e presos políticos que o Brasil voltou a ter no século XXI. Se isto aqui virar o experimento fascista da Espanha nos anos 30 que culminou com o Franquismo, depois Nazismo, Fascismo, apoiados inclusive por parte das igrejas tradicionais, saibam que


EU TENHO LADO, E É CONTRÁRIO A ESSA MERDA TODA!!!



Post Scriptum (16/11/13):



ÓDIO E RAIVA CONTRA INIQUIDADE (2)

Saí neste sábado pela manhã para ir à padaria. Já na portaria, o funcionário me aborda com sorrisos no lábio e comenta com gosto que agora estão prendendo os grandões... ele é negro, pobre, fora dos padrões estéticos da elite branca como falei na postagem. Indignado com o comentário dele, só falei que prisão no Brasil é feita pra gente como nós: pretos, pobres, putas e petistas... acrescentei sindicalistas...

Indo e voltando fiquei pensando... "ainda é perigoso o porteiro achar que eu o ofendi..."

Lá na banca de jornais (que maravilha a disposição imagética sobre a prisão de corruptos no Brasil!!!) tinha uma revista de história com capa chamando para o mistério: Como o nazismo convenceu toda uma nação...

QUE RAIVA senti novamente da FROUXIDÃO E PUSILANIMIDADE DO PT E DO GOVERNO por passar 10 anos no poder e NÃO FAZER NADA NADA NADA PARA REGULAR A MÍDIA E ACABAR COM O MONOPÓLIO DA COMUNICAÇÃO de meia dúzia de empresários parceiros dos escravocratas, dos golpistas nos vários golpes civis militares do século XX... essa merda toda do PIG através do secular Estadão, através da Folha DITABRANDA, através da PODRE DAS ORGANIZAÇÕES GLOBO, através do LIXO DOS PANFLETOS DA ABRIL...

Enquanto pessoas como o COMBATENTE POR 6 DÉCADAS JOSÉ GENOÍNO é condenado e preso sem crime, a presidenta Dilma Rousseff faz ti ti ti com Ana Maria Braga... a PORRA do Ministro das Comunicações é o Paulo Bernardo, amiguinho do PIG... o governo do DF segue entupindo de $ o PIG local... o Governo Federal segue entupindo de $ o PIG nacional... o governo Haddad já está fazendo o mesmo, sua área de "comunicação social" prefere mandar ele falar e dar entrevistas para o PIG local do que falar com a população com canais alternativos... enquanto isso, as rádios comunitárias no Brasil são caso de polícia... enquanto isso, os blogueiros "sujos" progressistas são condenados na justiça por falar grosso contra os PIG E SEUS LACAIOS FASCISTASS...

IT'S COMUNICATION, STUPID!!!

AH, SOBRE COMO O NAZISMO CONVENCEU TODA UMA NAÇÃO NOS ANOS 20 E 30... SÃO OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, IDIOTA!!! A ascensão do fascismo, nazismo, totalitarismos diversos, teve como grande ferramenta multiplicadora os novos veículos de comunicação de massa na época... os líderes deixaram de falar pra centenas em assembleias e locais físicos e passaram a falar a milhões em áreas geográficas continentais!!!!

FRANCAMENTE, ESTOU DE SACO CHEIO DE TODA ESSA MERDA!!!!!
NÓS QUE DIZEMOS QUE CHEGAMOS AO PODER POLÍTICO HÁ UMA DÉCADA NO BRASIL E NÃO FAZEMOS NADA PARA REGULAR OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA, ESTAMOS BRINCANDO COM MILHÕES DE MILITANTES SOCIAIS ESPALHADOS POR AÍ, PESSOAS COMUNS COMO EU, MILITANTES COM SUAS CAMISAS VERMELHAS DOS MOVIMENTOS SOCIAIS E COM DIRIGENTES DIVERSOS...

NÃO DÁ PRA FAZER A DISPUTA "IMBECIL" CONTRA O PIG INDO TOMAR CAFÉ COM A GLOBO, IR CHORAR A MORTE DE GOLPISTAS COMO LULA FEZ COM O "DR" MARINHO, "DR" FRIAS, "DR" MESQUITA...

Meu, vai a PQP com essa frouxidão do governo, do PT, e do monte de mauricinhos que agora fazem parte do movimento, enfiados nos gabinetes, no partido, nos sindicatos... eu tenho visto gente com um tipo de caráter nos nossos espaços que eu não confiaria minha vida a eles nem se me pagasse zilhões...

CHEGA DE FALAR SOBRE ISSO, TÔ DE SACO CHEIO DESSA MERDA DE FAZER GOVERNOS ACHANDO QUE DÁ PRA SER AMIGUINHO DA DIREITA E DO PIG...

UM MILITANTE DE ESQUERDA E DE MOVIMENTO SOCIAL TEM QUE TER LIMITES E HONRAR O QUE REPRESENTA... EU PASSEI A ÚLTIMA DÉCADA LUTANDO ATÉ CONTRA INIQUIDADE DENTRO DOS MEUS ESPAÇOS POLÍTICOS PORQUE, ÀS VEZES, ESSAS COISAS ACONTECEM ATÉ EM NOSSAS ORGANIZAÇÕES.

O GOVERNO DO LULA, DA DILMA, DO PT TAMBÉM TÊM CULPA PELA PRISÃO DO MILITANTE JOSÉ GENOÍNO... FICAR DIZENDO QUE SE SOLIDARIZA COM ELE E CONTINUAR ENFIANDO $$ NO PIG, INDO EM VELÓRIOS DO PIG, INDO TOMAR CHAZINHO COM O PIG...

VÁ À MERDA COM ISSO! NÃO QUERO QUE SEJAMOS OUTROS GENOÍNOS AMANHÃ OU DEPOIS!!!



Como disse pro porteiro de meu prédio - gente preta, pobre e simples que acha legal prender "corrupto" - se amanhã eu estiver na capa das merdas do PIG ou nas tvs e rádios, manda me prender por ser terrorista e "corrupto"... francamente!

14.11.13

Agenda de luta... pré feriado (e vem formação aí)


Nesta semana de 11 a 14 de novembro estive com a agenda sindical toda aqui em São Paulo.

Tratamos de questões relativas à minha função de coordenação nacional da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB. Também estamos fechando os textos da revista nacional O Espelho abordando a campanha nacional da categoria em 2013, bem como questões inerentes à Previ, à Cassi e ao nosso novo direito político no BB - ter um Conselheiro Representante no Conselho de Administração do Banco (Caref), Rafael Matos. A revista será distribuída no início do mês de dezembro para os bancários das bases sindicais filiadas à Contraf-CUT

FORMAÇÃO SINDICAL

Também tive um foco no fechamento da turma de formação que vamos iniciar na semana que vem. É o curso de formação Sindicato, Sociedade e Sistema Financeiro, um curso PCDA realizado em parceria entre a Contraf-CUT e o Dieese, juntamente com as entidades sindicais que apostam na formação, para preparar e dar mais capacitação aos dirigentes do Ramo Financeiro. 

Já deixo grande agradecimento a toda a equipe de funcionários da Contraf e dieese que ajudou a montar a turma, os materiais, atualizar a grade do curso e preparar tudo pra receber o pessoal do Brasil todo neste domingo e segunda.


PCDA - Programa de Capacitação de Dirigentes e Assessores.

De acordo com as políticas de formação definidas no Enafor da CUT deste ano, cabe às confederações e ramos realizar cursos de formação complementares à grade nacional formativa de nossa Central. 

É isso que estamos fazendo na Contraf-CUT. Realizando cursos temáticos com especialização em grandes temas e eixos de luta do ramo financeiro, além do curso PCDA voltado para capacitar dirigentes bancários.

Serão 3 módulos entre novembro e fevereiro e conseguimos montar uma boa turma com dirigentes de todo o Brasil.

As expectativas de iniciar uma turma de formação são sempre as melhores possíveis...

No domingo estaremos com a turma para o início, na segunda 18, logo cedo.

É isso,


SOMOS FORTES, SOMOS CUT!
A FORMAÇÃO SALVA!

--------------------------------------------

Post Scriptum:

POLÍTICA BRASILEIRA - compartilhei na mesma data (14/11/13), em meu perfil do Facebook, excelente artigo de Eduardo Guimarães sobre o absurdo que a "justiça" brasileira vem fazendo com o companheiro José Genoíno e outros dirigentes do PT e do campo democrático-popular. Reproduzo abaixo o artigo:

Preto, pobre, prostitua e petista

Por: Eduardo Guimarães (Blog da Cidadania)

Charge de Vítor T, feita para a matéria no
Blog da Cidadania sobre condenação de
José Genoíno e demais petistas.
“Num tempo
Página infeliz da nossa história

Passagem desbotada na memória

Das nossas novas gerações

Dormia

A nossa pátria mãe tão distraída

Sem perceber que era subtraída

Em tenebrosas transações”

Vai Passar (Chico Buarque)





O Brasil amanheceu pior do que ontem. A partir de agora, torna-se oficial o que, até então, era uma tenebrosa possibilidade: cidadãos brasileiros estão sendo privados de suas liberdades individuais apenas pelas ideologias político-partidárias que acalentam.

A “pátria mãe tão distraída” foi “subtraída em tenebrosas transações” entre grupos políticos partidários e de comunicação e juízes politiqueiros.

Na foto que ilustra este texto, o leitor pode conferir o único patrimônio de um político que foi condenado pelos crimes de “corrupção ativa e formação de quadrilha” pelo Supremo Tribunal Federal em 9 de outubro de 2012.

Junto com ele, outros políticos ou militantes políticos filiados ao Partido dos Trabalhadores, todos com evoluções patrimoniais modestas diante dos cargos que ocupavam na política.

José Dirceu, José Genoíno, João Paulo Cunha e Henrique Pizzolato tiveram suas prisões decretadas com base em condenações por uma Corte na qual, ao longo de sua existência secular, jamais políticos de tal importância foram condenados.

A condenação desses quatro homens, todos de relevância político-partidária, poderia até ser comemorada. Finalmente, políticos começariam a responder por seus atos. Afinal, até aqui o STF sempre foi visto como a principal rota de fuga dos políticos corruptos.

Infelizmente, a única condenação a pena de prisão que aquela Corte promulgou contra um grupo político foi construída em cima de uma farsa gigantesca, denunciada até por adversários políticos dos condenados, como, por exemplo, o jurista Ives Gandra Martins, que, apesar de suas divergências com o PT, reconheceu que não houve provas para condenar José Dirceu, ou como o formulador da teoria usada para condenar os réus do mensalão, o alemão Claus Roxin, que condenou o uso que o STF fez de sua revisão da teoria do Domínio do Fato.

Dirceu e Genoíno foram condenados por “formação de quadrilha” e “corrupção ativa” apesar de o primeiro ter estado infinitamente mais distante dos fatos que geraram o “escândalo do mensalão” do que estão Geraldo Alckmin e José Serra dos escândalos Alston e Siemens, por exemplo.

Acusaram e condenaram Dirceu apesar de, à época dos fatos do mensalão, estar distante do Partido dos Trabalhadores, por então integrar o governo Lula. Foi condenado simplesmente porque “teria que saber” dos fatos delituosos por sua importância no PT.

Por que Dirceu “tinha que saber” das irregularidades enquanto que Alckmin e Serra não são nem citados pelo Ministério Público, pela Justiça e pela mídia como tendo responsabilidade direta sobre os governos nos quais os escândalos supracitados ocorreram?

O caso Genoíno é mais grave. Sua vida absolutamente espartana, seu microscópico patrimônio, sua trajetória ilibada, nada disso pesou ao ser julgado e condenado como um “corruptor” que teria usado milhões de reais para “comprar” parlamentares.

O caso João Paulo Cunha é igualmente ridículo, em termos de sua condenação. Sua mulher foi ao banco sacar, em nome próprio, com seu próprio CPF, repasse do partido dele para pagar por uma pesquisa eleitoral. 50 mil reais o condenaram por “corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro”.

O caso mais doloroso de todos, porém, talvez seja o de Henrique Pizzolato, funcionário do Banco do Brasil, filiado ao PT e que, por ter assinado um documento que dezenas de servidores da mesma instituição também assinaram sem que contra eles pesasse qualquer consequência, foi condenado, também, por “corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro”.

Isso está acontecendo em um país em que se sabe que dois governadores do PSDB de São Paulo, apesar de ter ocorrido em suas administrações uma roubalheira de BILHÕES DE REAIS, não são considerados responsáveis por nada.

Isso está acontecendo em um país em que um político como Paulo Maluf, cujas provas de corrupção se avolumam há décadas, jamais foi condenado à prisão.

Isso está acontecendo em um país em que um governador como Marconi Perillo, do PSDB, envolveu-se até o pescoço com um criminoso do porte de Carlinhos Cachoeira, foi gravado em relações promíscuas com esse criminoso e nem acusado foi pelo Ministério Público.

Isso está acontecendo, finalmente, no mesmo país em que os ex-prefeitos José Serra e Gilberto Kassab toleraram durante anos roubalheira dentro da prefeitura e quando essa roubalheira de MEIO BILHÃO de reais vem à tona, a mídia e o Ministério Público acusam quem mesmo? O PT, claro.

Já entrou para o imaginário popular, portanto, que, neste país, cadeia é só para pretos, pobres, prostitutas e, a partir de agora, petistas.

No Brasil, as pessoas são condenadas com dureza pela “justiça” se tiverem mais melanina na pele, parcos recursos econômicos, se venderem o que só pertence a si (o próprio corpo) para sobreviver ou se tiverem convicções políticas que a elite brasileira não aceita.

A condenação de alguém a perder a liberdade por suas convicções políticas, porém, é mais grave. É característica das ditaduras, pois a desigualdade da Justiça com os outros três pês deriva de falta de recursos para se defender, não de retaliação a um ideário.

Agora, pois, é oficial: você vive em um país em que se deve ter medo de professar e exercer suas verdadeiras convicções políticas, pois sabe-se que elas expõem a retaliações ditatoriais como as que levarão para cadeia homens cuja culpa jamais foi provada.

Fonte: reprodução de texto do Blog da Cidadania

13.11.13

Maioridade penal é tema de reflexão nos Bancários de SP


As palestras e o debate foram excelentes e o Sindicato está de parabéns por trazer esse evento para a diretoria e funcionários da entidade, de maneira a nos dar subsídios para o debate com a sociedade e com os nossos representados (William Mendes)

----------------------------

Bom debate sobre maioridade penal no Sindicato.
Foto: Danilo Ramos.

Encontro entre advogados, dirigentes sindicais e educadores questiona motivos para redução da idade e defende cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente


São Paulo - Reduzir a maioridade penal pra quê? Esse foi o questionamento mais utilizado no debate promovido pelo Sindicato em parceria com a Fundação Projeto Travessia nesta quarta-feira 13. O evento teve como convidados o advogado Ariel de Castro Alves, presidente da Comissão da Infância e Juventude da OAB de São Bernardo do Campo, e José Nildo Alves Cardoso, advogado e militante na área de Direitos Humanos da Criança e Adolescente.

Para a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira, é necessário se informar e disseminar a informação sobre o tema, promover o debate com a sociedade, com a família. “O Congresso Nacional tem hoje uma configuração bastante conservadora. É bom refletir para não reproduzir informações equivocadas”, ressaltou a dirigente na abertura do encontro.

O advogado José Nildo explicou que discutir a redução da maioridade penal “é como nadar contra uma maré que entra em nossa casa há 40 anos entre 17h e 19h”, referindo-se aos apresentadores sensacionalistas da grande mídia, como o já falecido Jacinto Figueira Júnior, conhecido como o homem do sapato branco, que introduziu o estilo “mundo cão” na televisão brasileira, seguido por Ratinho, Datena, Marcelo Rezende entre outros.

Para José Nildo, “a mentira defendida várias vezes vira verdade e vira discurso social”, referindo-se ao posicionamento da maioria dos apresentadores desse tipo de programa de TV pela redução da maioridade penal. “O argumento é emocional e não racional. São perguntas como ‘e se fosse seu filho?’ ou ‘e se fosse com sua família?’ feitas ao telespectador”, explicou o advogado. “Discutimos como reprimir, não como prevenir”. Ele ressaltou que apenas casos de vítimas de classe média e brancos é que alcançam visibilidade da imprensa.


O advogado informou durante o debate que, em um Brasil com 21 milhões de adolescentes, cerca de 19 mil estão internados, sendo 9.016 somente no estado de São Paulo. No entanto, apenas 83 estão na Fundação Casa por crimes de latrocínio. Menos de 1% por homicídio. A maior parte está internada por tráfico. “Estou para encontrar um estudo que mostra quando a violência diminuiu por conta da redução da maioridade penal”, conclui desafiando quem aponte um país que tenha passado por essa situação com resultados positivos para a sociedade.

A Convenção da ONU sobre os Direitos da Criança de 1989, da qual o Brasil é signatário, recomenda a idade mínima de 18 anos para uma pessoa ser tratada como adulto na esfera penal.

Prevenção - Enquanto o debate sobre o assunto está cada vez mais efervescente no Senado (leia mais abaixo), o sistema prisional brasileiro continua caótico. Em reportagem recente do Fantástico (TV Globo) sobre tortura de adolescentes no complexo Vila Maria, projetada no telão do Auditório Azul na abertura da exposição de Ariel Castro Alves, a presidenta da Fundação Casa, Berenice Giannella, informa que o custo de cada adolescente internado é de R$ 7 mil ao mês. José Nildo ressalta o número de crianças e adolescentes fora da escola no país: 3,6 milhões. “O custo de uma criança no ensino básico é de R$ 280. A prevenção é mais barata que a prisão, que são estruturas de mini presídios”, destacou Ariel.

Para ele, “antes de pensar em novas legislações penais, é necessária completa reestruturação das nossas polícias e do poder judiciário, que é bastante corporativista e racista”. O advogado destacou que o sistema prisional brasileiro é inadequado para quem está formando sua personalidade, e que é necessário investimento em áreas preventivas. “As denúncias ao Disque 100 de casos de violência contra crianças e adolescentes chegam a 400 por dia”.

“Reduzir a maioridade penal é dar um atestado de incompetência de que o Brasil não tem capacidade de avançar na prevenção (da violência) e educação dos jovens”, concluiu Ariel Castro.

Enquanto isso, no Senado... – Em Brasília, a semana também foi de debate sobre a redução da pena de adolescentes. A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) discutiu na terça-feira 12 a PEC 33/2012, que estabelece que jovens maiores de 16 anos podem cumprir penas equivalentes às dos adultos em crimes como tortura, terrorismo, tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins e os hediondos.

A penalidade poderia ser imposta ainda em casos de múltiplas repetições de lesão corporal grave ou roubo qualificado. No entanto, o maior rigor na punição só poderia ser pedido pelo Ministério Público especializado em questões de infância e adolescência e decidido por juízes também encarregados de cuidar de crianças e adolescentes.

O senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) apresentou o relatório sobre seis PECs em exame na CCJ e que foram analisadas em conjunto. Ferraço pediu o arquivamento de cinco delas e propôs a aprovação da emenda constitucional apresentada pelo senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). Houve um pedido de vista coletiva para melhor análise do texto e ainda não foi marcada a data de votação da matéria.

O presidente da CCJ, Vital do Rego (PMDB-PB), apesar de ter ciência da polêmica desta mudança na Constituição, disse na sessão que sua vontade é decidir a matéria ainda este ano.

A senadora Ana Rita (PT-ES) propõe debater o cumprimento do ECA em vez de reduzir maioridade penal. “Eu sou totalmente contra a redução da maioridade penal. Eu penso que é preciso fazer um debate mais aprofundado sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, para que ele seja, de fato, mais conhecido pela sociedade e pelas autoridades, porque o que o Estatuto propõe em termos de medidas com relação à criança e ao adolescente que comete algum ato infracional não está sendo corretamente aplicada pelo Estado.”


Fonte: Seeb SP, com Gisele Coutinho, com informações da Agência Senado – 13/11/2013

12.11.13

BB lucra R$ 12,7 bilhões, mas segue lógica privada e corta 1.529 empregos


Apesar do lucro líquido de R$ 12,7 bilhões nos nove primeiros meses de 2013, crescimento de 54,6% em relação ao mesmo período de 2012 e rentabilidade de 25,6%, o Banco do Brasil eliminou 1.529 postos de trabalho no mesmo período. Em um ano, o corte foi ainda maior e alcançou 1.827 empregos, seguindo a política dos bancos privados e na contramão da economia brasileira que abriu 1,323 milhão de vagas entre janeiro e setembro deste ano.

Com isso, o quadro do BB ficou em 112.653 funcionários em setembro de 2013 contra 114.480 em setembro de 2012, conforme análise do Dieese sobre os números do balanço do BB, divulgado nesta terça-feira (12). 

"O corte de postos de trabalho é um contrassenso diante dos bons resultados do banco. Na Campanha Nacional 2013 conseguimos a garantia de que o banco vai contratar 3 mil funcionários até agosto de 2014, mas a redução verificada neste último balanço é prova do caos estabelecido nos locais de trabalho e da necessidade urgente dessas contratações", afirma William Mendes, secretário de Formação da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

"O que estamos vendo é o BB agir na mesma lógica perversa dos bancos privados de redução de pessoal e aumento da terceirização fraudulenta, como vimos recentemente na DIRAO e na DINOP", completa o dirigente sindical. "Essa não deve ser a missão de banco público voltado para o desenvolvimento econômico e social do país", ressalta.

Inadimplência cai, mas aumenta PDD

Outro dado destacado pelo Dieese é que, apesar da queda da inadimplência, o banco aumentou a provisão para créditos duvidosos, o que terá impacto no cálculo da PLR dos funcionários no segundo semestre. 

O índice de inadimplência da carteira de crédito, para atrasos superiores a 90 dias, permanece abaixo do verificado no sistema financeiro: 1,97% (ou 1,78%, excluindo-se as operações do BV) em setembro de 2013, frente a 2,19% de setembro de 2012 (-0,22 ponto percentual). 

Já as despesas com o provisionamento com devedores duvidosos (PDD) somaram R$ 11,4 bilhões em setembro de 2013, com crescimento de 8,1% em doze meses, justificado pelo expressivo crescimento da carteira de crédito. 

"O banco está inflando a provisão para devedores de forma artificial como vem ocorrendo com os bancos no sistema financeiro. No caso do BB é completamente injustificável porque, mesmo tendo ampliado a carteira de crédito, o que é bom, a inadimplência do BB, que já é a menor do sistema, caiu 11% em relação ao mesmo período de 2012. Ainda se considerarmos o mau negócio feito no Votorantim, a inadimplência sem os prejuízos desta operação é menor ainda", salienta William.

Receitas de tarifas: 127% das despesas de pessoal

Com crescimento de 9,9% nas receitas de prestação de serviços e rendas de tarifas bancárias, estas passaram de R$ 15,6 bilhões, no 3º trimestre de 2012 para R$ 17,1 bilhões, no 3º trimestre de 2013. 

As despesas de pessoal, por sua vez, tiveram crescimento de 11,1%, passando de R$ 12,1 bilhões para R$ 13,4 bilhões, no período. Esses resultados impactaram na relação entre essas despesas e as receitas de prestação de serviços e renda de tarifas, que caiu de 128,8% para 127,5%. Apesar disso, o banco, além de pagar todas as despesas de pessoal apenas com receitas de serviços e tarifas, ainda tem um excedente de 27,5% do total das despesas de pessoal.

Expansão de negócios e ampliação do crédito

Conforme o Dieese, o resultado do BB foi impulsionado pela expansão dos negócios, contenção das despesas e, ainda, pelo impacto da alienação de ações da BB Seguridade no 2º trimestre. O lucro líquido ajustado, ou seja, sem itens extraordinários, ficou em R$ 7,9 bilhões, representando uma queda de 5,0% em comparação a setembro de 2012 (R$ 8,3 bilhões). Com base no lucro ajustado, a rentabilidade foi de 15,8%.

Os ativos do BB ultrapassaram R$ 1,25 trilhão, com crescimento de 14,0% em 12 meses. A carteira de crédito ampliada atingiu a cifra de R$ 652,3 bilhões, com crescimento de 22,5% em relação ao mesmo período de 2012. O destaque foi a expansão das carteiras de crédito "Pessoa Jurídica" (23,4%) e "Agronegócios" (32,5%).

O BB permanece na liderança ao financiamento da agricultura no país, atingindo 65,2% das operações de crédito para esse setor, conforme os dados do Sistema Nacional de Crédito Rural. Os destaques, nos últimos 12 meses, foram o crescimento das operações do Pronaf, com R$ 27,1 bilhões (21,3%), do Pronamp , com R$ 15,0 bilhões (55,4%) e do Programa ABC, com R$ 4,3 bilhões (145,1%).

A taxa de inadimplência da carteira de crédito para atrasos superiores a 90 dias, de 1,97%, permanece abaixo da média do Sistema Financeiro (3,3%). Se forem excluídas as operações do Banco Votorantim de financiamento à compra de veículos, que têm alta inadimplência, a taxa cai para 1,78%. Em setembro de 2012 a taxa de inadimplência foi de 2,19%, 0,22 ponto percentual acima da taxa registrada em setembro de 2013.


Fonte: Contraf-CUT com Dieese

Contraf reivindica da Previ manutenção do BET e suspensão das mensalidades


A Contraf-CUT enviou ofício aos diretores e conselheiros deliberativos eleitos da Previ na sexta-feira 8 informando a preocupação dos bancários do BB com a possibilidade do término do Benefício Especial Temporário (BET) e de retorno das contribuições ao plano, anunciados recentemente. 

O presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro, e o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB , William Mendes, destacaram que o funcionalismo é favorável à continuidade do BET e à suspensão das contribuições, para evitar que o orçamento apertado das famílias seja comprometido com aumento de gastos ou com a redução dos rendimentos dos aposentados.


Leia aqui a íntegra da carta, em pdf.


"Sabemos que o BET é temporário e que a sua manutenção depende, essencialmente, da geração de novos superávits pela Previ. No entanto, sabemos também que o Plano 1 encerrou o exercício de 2012 com uma reserva especial acumulada de R$ 1 bilhão, pelo terceiro exercício consecutivo. De acordo com a legislação, esse valor deve ser obrigatoriamente destinado no exercício seguinte. Estamos em novembro de 2013 e até o momento nem a Diretoria Executiva nem o Conselho Deliberativo da Previ tomaram nenhuma decisão a respeito da destinação desses recursos, deixando de cumprir a determinação legal. Se esses valores forem contabilizados nos fundos de destinação da reserva especial, tanto a suspensão de contribuições quanto o pagamento do BET podem continuar por mais alguns meses", ressaltam em um trecho da carta.

A Contraf-CUT reivindica dessa forma que a reserva especial acumulada no final de 2012 seja destinada para os fundos específicos e distribuída aos associados, seguindo os parâmetros do acordo do superávit negociado entre BB, dirigentes eleitos, entidades sindicais e representativas no final de 2010 e aprovado em seguida pelos associados.

"Queremos que essa decisão da Previ seja tomada nas próximas semanas, antes do término do ano, por conta das questões e prazos legais", cobra William Mendes.


Fonte: Contraf-CUT

8.11.13

Contraf-CUT orienta sindicatos a fiscalizarem reclassificação de faltas no BB


A Contraf-CUT orienta as entidades filiadas a alertarem os dirigentes sindicais e militantes do Banco do Brasil a fiscalizarem em todas as unidades do BB se os administradores fizeram a reclassificação das faltas não abonadas e não justificadas em razão da luta, no primeiro semestre, contra o plano de funções. A urgência se justifica porque o banco fecha a folha de pagamento de novembro nesta sexta-feira 8.

A reclassificação é uma conquista da Campanha Nacional dos Bancários 2013. Os administradores receberam comunicado da direção da empresa nesta semana para fazerem a reclassificação das faltas. 

"É importante que todos os militantes façam essa checagem em todas as unidades, de modo a evitar que os companheiros que participaram da luta contra o plano de funções sejam prejudicados", afirma William Mendes, secretário de Formação da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

Vigilância contra perseguições

A Contraf-CUT também orienta as entidades sindicais de todo o país a ficarem atentas a qualquer tipo de perseguição a bancários que participaram da greve da Campanha Nacional dos Bancários. 

Veja aqui o que a Contraf-CUT, as federações e sindicatos estão fazendo para coibir a perseguição do banco aos grevistas. 

Mesa temática sobre Cassi e Previ

Foi marcada para 27 de novembro, em Brasília, a primeira reunião da mesa temática sobre Cassi e Previ para tratar de coletas de dados e estudos sobre a questão dos incorporados dos bancos BEP, Besc e BNC.

A mesa temática também foi conquista da Campanha Nacional dos Bancários 2013. 


Fonte: Contraf-CUT

Comando Nacional e Fenaban instalam GT que investigará adoecimentos



Companheirada,

Outro dia descrevi aqui no blog cada item conquistado no Banco do Brasil nas últimas duas campanhas nacionais. Toda conquista e aumento de direitos para os acordos e convenções, inclusive mesas temáticas e grupos de trabalho, são muito importantes para a classe trabalhadora e suas entidades representativas. 

É assim que devem ser relações entre Capital x Trabalho minimamente civilizadas neste mundo hegemonizado pelo desgraçado sistema capitalista, focado na exploração dos seres humanos.

Este é um papel importante de entidades CUTistas e seus dirigentes sindicais: organizar os trabalhadores nos locais de trabalho, conhecer os problemas, buscar soluções através de negociações, mobilizar a categoria para criarmos correlação de forças e conquistar mudanças de maneira a alterar positivamente a vida dos trabalhadores.

Pensem nisso cada dia como dirigentes sindicais.

Vamos fazer o máximo para tirar informações e buscar avanços para os nossos trabalhadores bancários nesta mesa com a Fenaban.

Saudações cutistas, William Mendes

-------------------------------------------------

Conquista da Campanha 2013, GT se reuniu no hotel Maksoud, em São Paulo

O Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT e assessorado pelo Coletivo Nacional de Saúde do Trabalhador, instalou junto com a Fenaban, nesta quinta-feira 7, o grupo de trabalho bipartite que investigará as causas de adoecimento da categoria. 

A criação da mesa de negociações específica foi conquista na campanha de 2013 e é resultado da preocupação dos bancários com o crescente número de trabalhadores afastados por motivo de saúde. Em 2012, 21.144 bancários foram oficialmente afastados de suas funções pelo INSS, mas estima-se que grande parte dos pedidos de afastamentos esteja sendo negada e que o número de bancários que adoecem possa chegar a 60 mil por ano em todo o Brasil.

"A instalação do GT sobre adoecimento é uma conquista histórica, fruto da ousadia, da unidade e da mobilização dos bancários. Queremos identificar as raízes do problema para acabar com a verdadeira epidemia de adoecimentos que atinge os trabalhadores do sistema financeiro nacional", avalia Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

Nessa primeira reunião, o Comando Nacional reivindicou amplo acesso a dados sobre afastamentos para que possa ser feito o diagnóstico mais abrangente possível. "Reivindicamos acesso a dados gerais de afastamento, não só por acidente de trabalho, mas também por problemas de saúde, pois acreditamos que só assim poderemos ter um quadro mais realista do que vem acontecendo com a categoria", afirma Walcir Previtale, secretário de Saúde do Trabalhador da Contraf-CUT.

A próxima reunião acontecerá no dia 28 de novembro, quando será discutida uma metodologia a ser adotada para a continuidade do trabalho do GT e contará com a participação de médicos do trabalho, psicólogos e advogados especialistas na área de saúde do trabalhador de ambas as partes. "Nossa perspectiva é que os resultados dessas negociações e os diagnósticos nos possibilitem ir além e propor políticas de prevenção dentro de uma perspectiva de promoção à saúde", conclui Walcir. 


Fonte: Contraf-CUT

6.11.13

Agenda de luta... E peço: votem Chapa 2 na Afbnb


Olá companheirada,

Na segunda 4 tratei ainda de problemas pós greve do BB.

Nesta terça 5 estivemos reunidos com a executiva nacional da Contraf-CUT aqui em SP. Fizemos uma avaliação da campanha nacional deste ano e outras questões.

Nesta quarta 6 temos reunião preparatória para a 1ª mesa com a Fenaban para debatermos as questões relacionadas aos afastamentos dos bancários.

Na quinta 7 mesa com a Fenaban em SP.

FORMAÇÃO - Lembro a tod@s que estamos com inscrições abertas para o curso de formação da Contraf em parceria com o Dieese para dirigentes sindicais bancários. O curso terá 3 módulos e começa na semana de 18 a 22 de novembro. Conversem com a companheirada em suas entidades sindicais filiadas à confederação.

E, por fim, vamos conversar com cada bancária e bancário para votar na chapa que significa a renovação na AFBNB. CHAPA 2

Saudações de luta, William Mendes


Contraf-CUT apoia Chapa 2 nas eleições da AFBNB que ocorrem dia 13


Chapa 2 em Limoeiro do Norte, no Ceará: campanha ganha cada vez mais apoio 

A Contraf-CUT apoia a Chapa 2, de oposição, "Renova com Unidade e Ousadia" nas eleições que serão realizadas no próximo dia 13 para a Diretoria e o Conselho Fiscal da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB). Duas chapas concorrem ao pleito, do qual poderão votar todos os associados que tenham se filiado à entidade até o último dia 13 de agosto e estejam quites com suas obrigações estatutárias. 

"A Chapa 2, encabeçada pela funcionária Rafhaella Castro, da Agência Limoeiro do Norte, no Ceará, significa renovação e ousadia na AFBNB e está realmente comprometida com o fortalecimento da unidade nacional dos funcionários e da categoria, o que tem sido fundamental para a ampliação das conquistas dos bancários", afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT

"O BNB tem que ser um banco positivo, um banco forte para responder às necessidades de desenvolvimento da sociedade nordestina. E a AFBNB tem que ser protagonista, e precisa estar em consonância com as ações positivas nacionais", enfatiza o vice-presidente da Contraf-CUT, Carlos Souza. Para ele, a Chapa 2 tem essa característica, que é indispensável para o projeto de futuro da AFBNB.

Candidata a presidenta

Raphaella Silveira Castro é a candidata a presidenta da Chapa 2. Ela é
bancária do BNB desde 2008, gerente de Negócios Pronaf na Agência Limoreiro do Norte, no Ceará. Também atuou nas agências Canindé-CE e Aldeota, em Fortaleza. 


Técnica em Contabilidade e formada em Matemática pela UECE, cursa bacharelado em Direito, e tem curso de extensão em Mediação de Conflitos. 

A militância política vem do movimento estudantil secundarista. Participou ativamente no movimento social e nas lutas comunitárias em Fortaleza, a exemplo da Comissão de Defesa do Consumidor na Câmara Municipal. Foi diretora do Sindicato dos Bancários do Ceará e delegada sindical. 

Propostas


A Chapa 2 tem como objetivo renovar a atuação da entidade, visando o fortalecimento do BNB como banco público e a defesa incessante dos interesses dos trabalhadores. 

Entre as propostas apresentadas pela Chapa 2 estão: afastamento dos diretores suspeitos de corrupção e devolução dos recursos desviados; destinação de 3% de IR e IPI para o FNE; revisão do Plano CV da Capef; jornada de 6h para comissionados; e incorporação de função exercida há pelo menos cinco anos.

Todas as informações relacionadas às eleições estão disponíveis no site da AFBNB (www.afbnb.com.br). Durante todo o dia das eleições, haverá urna em cada agência do BNB. 

No Passaré, as urnas percorrerão as unidades, ficando fixas em local a ser divulgado posteriormente pela Comissão Eleitoral. Diretoria e Conselho Fiscal terão cédulas separadas para votação.

Para saber mais sobre a Chapa 2 "Renova com Unidade e Ousadia", conhecer seus candidatos e suas propostas, acompanhe as redes sociais:

Facebook: /chapa2renova ou Chapa 2 AFBNB
Twitter: @chapa2renova
Youtube: Chapa 2 AFBNB


Fonte: Contraf-CUT com Seeb Ceará e Seec Pernambuco


-------------------------------------------------
Post Scriptum com o resultado do processo eleitoral:

A eleição foi ganha pela chapa 1 da situação.

-------------------------------------------------

Post Scriptum sobre democracia e política no país:

Em 10/11/13 postei comentário (abaixo) no Facebook ao compartilhar texto do Blog da Cidadania (Para derrotar Dilma em 2014, oposições planejam impor o caos no país):

"FORMAÇÃO POLÍTICA: Companheirada, amig@s e colegas bancári@s, esse cidadão brasileiro, representante comercial que resolveu virar blogueiro e liderar o Movimento dos Sem Mídia e se comunica pelo Blog da Cidadania, Eduardo Guimarães, tem análises políticas das melhores que eu conheço como militante de esquerda e estudioso nas horas vagas (não vagaram mais horas na minha vida, é verdade!). Eu o respeito e levo a sério suas análises, mesmo quando eu discordo dele (pois estou mais à esquerda hoje que o próprio PT, apesar de ser filiado não atuante). ENFIM, RECOMENDO A LEITURA E PEÇO QUE PARTILHEM SUA ANÁLISE SOBRE O PROVÁVEL CENÁRIO ELEITORAL 2014 (SOB O CAOS CONSTRUÍDO). Bom domingo e boas reflexões a vocês..."